Aldeia Diabo Velho: Semana teatral do Sesc tem entrada de R$ 4 a R$ 30

Aldeia Diabo Velho volta para a sua quarta edição em Goiânia | Foto: Divulgação
Aldeia Diabo Velho volta para a sua quarta edição em Goiânia | Foto: Divulgação

Goiânia será palco em julho de um grande evento que destaca as artes cênicas goianas. A quarta edição do projeto do Sesc Aldeia Diabo Velho – Território Livre das Artes terá uma semana intensa de programação cultural.

A ideia do evento é valorizar a produção local nas artes, com destaque para as artes cênicas, incentivando o olhar do espectador e a economia da cultura, contribuindo assim para o desenvolvimento sociocultural da cidade e do Estado. O projeto também tem o objetivo de oportunizar o intercâmbio das linguagens artísticas produzidas no país. Confira a programação completa no site do Sesc Goiás.

Evento terá música e dramaturgia | Foto: Divulgação
Evento terá música e dramaturgia | Foto: Divulgação

A Sesc Aldeia Diabo Velho é uma realização do Sesc Goiás e acontecerá de 1º a 8 de julho no Teatro Sesc Centro e em diversos espaços da cidade, com programação de qualidade e preços acessíveis a toda população. A mostra englobará espetáculos, shows, exposições, cursos, intervenções artísticas e escambo das letras, entre outras atividades.

publicidade

LEIA MAIS: Jogo beneficente trará Neymar, Safadão e várias outras estrelas a Goiânia

A programação será aberta oficialmente no dia 1º de julho, sábado, com um cortejo artístico pelas ruas da cidade. A concentração será no Teatro Goiânia. O cortejo artístico contará com a presença de grupos de tradição, folclore, músicos, atores, artistas circenses e todos segmentos culturais, além de bandas marciais que percorrerão o trecho Avenida Goiás – Praça do Bandeirante – Praça Cívica, para anunciar a chegada da Sesc Aldeia Diabo Velho – Território Livre das Artes.

Apresentações

Também começam no dia 1º de julho as apresentações teatrais e shows com grupos goianos e de diversos Estados brasileiros, como Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, São Paulo, entre outros. Dentro da programação do projeto acontecerão trocas de livros, gibis, revistas, contação de histórias e ainda cursos técnicos e culturais. Para participar dos cursos é preciso se inscrever diretamente na Central de atendimentos Sesc Centro. Toda a programação da Sesc Aldeia Diabo Velho pode ser conferida no site do Sesc Goiás.

Renomados grupos como Os Barbatuques, que se apresentaram na abertura das Olimpíadas no Rio e fazem um trabalho instrumental explorando a voz, será uma das atrações da Aldeia. Ainda haverá show com Sá & Guarabyra, show para criançada com o Grupo Triii, espetáculos emocionantes como o Abrazo do Grupo de Teatro Clowns do Rio Grande do Norte e os Mequetrefes, do Grupo Parlapatões (SP), espetáculos para crianças, adultos e oficinas que ensinarão na prática como ser um ilustrador de livro, por exemplo. A programação da Sesc Aldeia Diabo Velho é intensa e contempla todas as faixas etárias, movimentando a cidade inteira.

Apresentações serão feitas em locais diferentes | Foto: Divulgação
Apresentações serão feitas em locais diferentes | Foto: Divulgação

Por quê Diabo Velho?

O nome Diabo Velho remete ao bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva, o primeiro bandeirante a se fixar no Estado de Goiás com sua expedição. A alcunha de Anhanguera é polêmica e incerta, mas o fato de ser cego de um olho pode ser um dos motivos. No entanto, reza o imaginário que o bandeirante ameaçou atear fogo ao rio se os índios não dessem o ouro que ele queria; para demonstrar seu poder, ateou fogo em uma bacia com aguardente. Em função dessa atitude, os índios o chamaram de Anhanguera, que significa “Espírito maligno” ou “Diabo Velho”. De origem tupi, decorre de anhanga, “ser maligno” e uera, “o velho, o que já foi”.

Mas Bartolomeu Bueno é merecedor de homenagens? Será que o povo goiano se lembra que foi ele quem dizimou um número absurdo de índios que viviam na região? Em uma das versões contraditórias do “Diabo Velho”, ele teria matado tantos índios que, após jogar os corpos ao rio, eram tantos que acabaram tornando as águas vermelhas originando o tão homenageado Rio Vermelho.

De acordo com o Sesc Goiás, a pretensão não é homenagear o Anhanguera, mas levantar questionamentos, rememorar a história, lançar olhar sobre as heranças culturais que marcaram nosso povo de tal forma que ainda procuramos por nossa identidade indígena-negro-branco.

Sesc Aldeia Diabo Velho

Quando: 1 a 8 de julho

Onde: Cena Curumim, Teatro Sesc, Centro Cultural UFG e Teatro Madre Esperança Garrido

Quanto: Compre seu ingresso antecipadamente na Central de Atendimentos do Sesc Centro, na Bilheteria do Teatro em até 2 horas antes do início do espetáculo ou na bilheteria digital:

– Cena Curumim: comerciários e dependentes R$ 4, conveniados R$ 5, meia-entrada R$ 6 e inteira R$ 12

– Teatro Sesc e Centro Cultural UFG: comerciários e dependentes R$ 7, conveniados R$ 8, meia-entrada R$ 10 e inteira R$ 20

– Teatro Madre Esperança Garrido: comerciários e dependentes R$ 10, conveniados R$ 12, meia-entrada R$ 15 e inteira R$ 30

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter