Morre piloto de avião sequestrado em 1988 que pousou em Goiânia | Foto: Reprodução
Morre piloto de avião sequestrado em 1988 que pousou em Goiânia | Foto: Reprodução

Morreu nessa 4ª feira (26), um piloto que ficou famoso no Brasil inteiro por ser comandante de um avião sequestrado em 1988 por um homem que pretendia fazer um atentado contra o Palácio do Planalto.

Aos 76 anos, Fernando Murilo de Lima e Silva tinha complicações cardíacas e diabetes.

Amigo do piloto e autor do livro “Caixa Preta”, Ivan Sant’Anna relatou que a causa da morte foi insuficiência respiratória, com suspeita de covid-19.

Fernando atuou como piloto até os 60 anos. Ele deixa esposa e 2 filhos.

Comandante herói: piloto Fernando Murilo de Lima e Silva | Foto: Reprodução
Comandante herói: piloto Fernando Murilo de Lima e Silva | Foto: Reprodução

Relembre a história do avião sequestrado em 1988

Em 29 de setembro de 1988, um avião da Vasp foi sequestrado por Raimundo Nonato, que planejava um verdadeiro atentado terrorista em solo brasileiro.

O Boing levava 135 passageiros e 8 tripulantes, de Belo Horizonte com destino ao Rio de Janeiro.

Fernando Murilo era o comandante da aeronave e foi considerado por muitos como o herói do dia.

Ao ser comunicado do sequestro, ele conseguiu colocar no transponder do avião um código de alerta internacional.

Na sequência, um copiloto que pegou um rádio para comunicar o ocorrido à torre de controle foi baleado pelo sequestrador e morreu.

 

Mas foi então que o comandante entrou em ação para evitar o pior.

Ele percebeu que o combustível do avião estava baixo, devido à mudança de trajeto, e conseguiu convencer o Raimundo que era necessário pousar em Goiânia para abastecer antes de seguir até a Capital Federal.

Em Goiânia, o Boing já pousou cercado pela Polícia Federal.

Após negociações, o sequestrador exigiu uma aeronave de pequeno porte para que ele pudesse seguir para Brasília, levando o comandante como refém.

No momento em que Raimundo se preparava para subir no 2º avião, o piloto decidiu tentar a sorte correndo, mas acabou baleado.

Felizmente, o tiro foi só na perna e sem grandes complicações.

O sequestrador, porém, em uma rápida ação da PF, foi atingido no quadril. Detido, acabou morrendo 3 dias depois em um hospital.

Segundo investigação da época, Raimundo Nonato teria ficado desempregado recentemente na crise econômica e culpava o presidente na época José Sarney (MDB).

Vídeo da época sobre o sequestro no Jornal Nacional:

LEIA MAIS 👉 30 anos depois, relembre o sequestro de uma criança que parou Goiânia


Acompanhe tudo que acontece em Goiânia seguindo a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook