Acusado de matar garçom diz que só queria “passar susto” na vítima

acusado-cairo-preso-pc
Acusado de matar garçom disse que só “queria passar um susto”| Foto: Reprodução/PCGO

Em audiência na última sexta-feira, 26, Cairo Petrucce, de 22 anos, disse que matou o garçom Edmar Cavalcante Rabelo Filho, de 20 anos. A sua a intenção, segundo Petrucce, não era atingir a vítima, mas “assustá-la”. O fato ocorreu no dia 19 de fevereiro de 2016 na porta da Boate Pink Elephant, no Setor Marista, em Goiânia.

O réu disse que estava alcoolizado e discutiu com Edmar e outras duas pessoas na porta da boate porque eles “ficaram fazendo gracinha” após serem barrados na entrada pelos seguranças do local.

LEIA MAIS: Servidor da Saneago envolvido na Operação Decantação é encontrado morto no Jardim Botânico

Ao contrário da denúncia do Ministério Público de Goiás (MP-GO), Cairo afirma que Emerson – jovem que ele conheceu na noite do crime – foi quem derrubou propositalmente a garrafa de cerveja do garçom, que estava escorado em uma mureta.

Garçom Edmar Filho foi morto a tiros na porta da boate |Foto: Reprodução/Facebook
Garçom Edmar Filho foi morto a tiros na porta da boate |Foto: Reprodução/Facebook

Em seguida houve uma pequena discussão, sem agressões físicas. Ambos foram até o carro, onde Emerson entregou uma arma a Cairo. “O Emerson me deu uma pistola, que estava embaixo do banco,” disse Cairo. Em depoimento, Petrucce destacou que foi incentivado pelo colega a retornar ao local e “passar um susto” naquelas pessoas.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter

 

Comentários do Facebook