Novo aeroporto executivo em Aparecida de Goiânia está previsto para 2020

Projeto de novo aeroporto em Aparecida de Goiânia foi apresentado nesta quinta, 15 | Foto: Reprodução
Projeto de novo aeroporto em Aparecida de Goiânia foi apresentado nesta quinta, 15 | Foto: Reprodução

Em 2020, Aparecida de Goiânia vai receber um aeroporto executivo. O projeto foi apresentado nesta quinta-feira (15) na nova sede da Associação Comercial e Industrial de Aparecida de Goiânia (Aciag).

Os investimentos serão em torno de R$ 100 milhões e a obra deve empregar 2050 pessoas para tirar do papel o empreendimento batizado de Antares Aeródromo Executivo. A previsão é de que o trabalho seja iniciado no fim de 2017 e seja concluído ainda em 2020, quando já estará em operação.

O novo aeroporto executivo segue o modelo de Aerotrópolis, usado nos Estados Unidos, mas incomum no Brasil. Com 409 hectares, o aeroporto contará com 498 lotes medindo 1000 m² cada, que serão destinados à construção de hangares particulares.

publicidade

LEIA MAIS: “Você tem que pedir perdão a Deus”, diz Professor Alcides a Mendanha

Além disso, a obra prevê um hotel, pista para decolagem e pouso com 2000 m, pista de acesso aos hangares, estação de embarque e desembarque, espaço para helicóptero e estacionamento para visitantes.

A expectativa é de que o aeródromo conte com três vias de acesso. Atualmente, é possível chegar ao local por meio da Avenida Santana e pelo Eixo Viário Norte Sul 1, inaugurado recentemente. Está previsto ainda um viaduto no desvio da BR-153, o qual dará acesso direto à área.

Aparecida

Para o prefeito da cidade, Maguito Vilela (PMDB), o aeroporto em Aparecida é  “importante para a região. Com o aeroporto executivo, Aparecida, que é uma das dez melhores cidades para os negócios, conforme pesquisa publicada na Revista Exame, vai voar ainda mais longe e abrir novos caminhos para o desenvolvimento “, assegurou.

Já o diretor da Tropical Urbanismo e Incorporação Paulo Roberto da Costa, “Aparecida tem tudo para se tornar um polo para empresas de manutenção e, quem sabe, de fabricação de aeronaves”. Além disso, ele lembra que “a Universidade Federal de Goiás está construindo um campus ao lado do aeródromo, o qual oferecerá curso de Engenharia de Transportes. Quando entrar em operação, o Antares deve empregar 3500 profissionais”, afirmou.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter