Simulação de guerra em Goiânia atrai mais de 70 jogadores de airsoft

Mais de 70 pessoas participaram do jogo de airsoft em Goiânia, no último domingo, 22 | Foto: Alex Sander Arantes
Mais de 70 pessoas participaram do jogo de airsoft em Goiânia, no último domingo, 22 | Foto: Alex Sander Arantes

Um jogo de airsoft reuniu mais 70 praticantes, fora a equipe de apoio (fiscais e fotógrafo), para uma simulação de operação de guerra em Goiânia no último domingo, 22. A partida foi realizada em uma obra abandonada no Residencial Veredas dos Buritis.

Organizado pela equipe de airsoft KGB, entre as mais atuantes do meio, o encontro também teve um caráter solidário. Para participar, os jogadores tiveram que doar dois quilos de alimento não perecível. Os 61 kg arrecadados serão repassados a uma instituição de caridade.

Intitulada de “Ataque a Qabun”, a atividade simulou um verdadeiro campo de guerra, com réplica de armamento muito semelhante ao usado pelas forças armadas. Quem tiver interesse em participar pode seguir o grupo no Facebook criado para a divulgação de eventos de Airsoft em Goiânia e região.

Intitulada de "Ataque a Quabun", jogo de airsoft simulou um verdadeiro campo de guerra em Goiânia | Foto: Alex Sander Arantes
Intitulada de “Ataque a Quabun”, jogo de airsoft simulou um verdadeiro campo de guerra em Goiânia | Foto: Alex Sander Arantes

Airsoft

Esporte de aventura que simula situações de combates de guerra, o airsoft atrai cada vez mais goianienses apaixonados por estratégias. É parecido com o paintball, mas as armas são de pressão e a munição são bolinhas de plástico PVC. A modalidade está mais para um jogo de videogame com personagens e cenário real. E quem joga é chamado de operador.

LEIA MAIS: Carro com Professor Alcides capota na BR-135. Veículo ficou destruído

Embora as bolinhas de plástico possam deixar marcas na pele, o airsoft exige ética dos jogadores para que se “autodenunciem” ao serem atingidos e, consequentemente, eliminados do jogo, independente de alguém ter visto o tiro.

“É um jogo baseado no fairplay. Diferente do paintball, ele não deixa marca no jogador. Se você toma um tiro, sente o impacto e automaticamente já se declara fora do jogo, levantando a mão ou um pano vermelho, ”, explicou o médico José Mauro Junior, o Zema, de 25 anos, membro da equipe KGB.

Equipe de airsoft KGB organizou evento em Goiânia, no último domingo, 22 | Foto: Alex Sander Arantes
Equipe de airsoft KGB organizou evento em Goiânia, no último domingo, 22 | Foto: Alex Sander Arantes
Mais de 70 pessoas participaram do jogo de airsoft em Goiânia, no último domingo, 22 | Foto: Alex Sander Arantes
Mais de 70 pessoas participaram do jogo de airsoft em Goiânia, no último domingo, 22 | Foto: Alex Sander Arantes
Mais de 70 pessoas participaram do jogo de airsoft em Goiânia, no último domingo, 22 | Foto: Alex Sander Arantes
Mais de 70 pessoas participaram do jogo de airsoft em Goiânia, no último domingo, 22 | Foto: Alex Sander Arantes

Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter

Comentários do Facebook