ALERTA! Pesquisadores desconfiam que zika seja transmitido pela saliva

O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva, fala à imprensa (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, Edinho Silva, fala à imprensa (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva disse em entrevista ao “Globo” que pesquisadores brasileiros desconfiam da possibilidade do zika vírus ser transmitido pela saliva.

Segundo o ministro, essa possibilidade ainda será estudada e aprofundada. Nos EUA, foi confirmada a transmissão sexual do vírus. Em pleno feriado de Carnaval, essas informações são preocupantes.

“Temos essa notícia da presença do vírus zika na saliva. Certamente, isso vai ser pesquisado, mas é um vírus que nós não sabemos a amplitude, não sabemos a dimensão da ação. É fundamental, neste momento, o combate ao mosquito Aedes aegypti, para que ele não se reproduza e não seja o principal transmissor do vírus zika”, disse Edinho.

Brasil e EUA

Mas o representante do governo rebateu declarações de autoridades da ONU e dos EUA, que disseram que a burocracia brasileira estaria dificultando o envio para o exterior de amostras que possibilitariam o avanço das pesquisas feitas por meio de cooperação internacional.

LEIA MAIS: Homem é diagnosticado com dengue, chikungunya e zika. Ao mesmo tempo

“Se tem algum problema, eu penso que esse problema é marginal e que será facilmente resolvido. O centro – aquilo que a presidenta Dilma ordenou a todo seu governo e que ela própria falou com o presidente Obama – é de uma grande união para que a gente possa não só derrotar o virus zika no Brasil, mas impedir que ele se espalhe pelo mundo”, afirmou.

Microcefalia

Os dados apresentados pelo ministro mostram que o número de casos de crianças examinadas com o diagnóstico de microcefalia já ultrapassa 4700. Mais de 400 bebês desenvolveram o quadro em decorrência do contágio pelo zika vírus.

“É uma situação grave, alarmante e, nesse momento, só tem uma arma para que a gente lute contra essa situação que se criou: a consciência do povo brasileiro, impedindo que o mosquito se reproduza, destruindo todos os possíveis criadouros. Se nós enfrentarmos o mosquito, estaremos impedindo que as crianças brasileiras sofram as consequências da microcefalia”, finalizou.

Comentários do Facebook