Aparecida ultrapassa Anápolis e é a 2ª em casos de coronavírus em Goiás | Foto: Enio Medeiros
Aparecida ultrapassa Anápolis e é a 2ª em casos de coronavírus em Goiás | Foto: Enio Medeiros

Aparecida de Goiânia ultrapassou Anápolis e agora é a 2ª cidade com mais casos confirmados de coronavírus em Goiás.

De acordo com últimos os boletins epidemiológicos divulgados pelas secretarias municipais de saúde na 5ª feira (30), os números passaram a ser os seguintes:

  1. Goiânia – 448;
  2. Aparecida de Goiânia – 55;
  3. Anápolis – 46.

Os dados divergem ligeiramente daqueles divulgados pelo Governo de Goiás, mas a ordem segue a mesma.

Aparecida

O número de casos confirmados em Aparecida mais do que dobrou em um período de menos de 1 semana. Eram apenas 21 no dia 24 de abril.

Veja no gráfico:

Aparecida de Goiânia ultrapassou Anápolis e agora é a 2ª cidade com mais casos confirmados de coronavírus em Goiás. De acordo com últimos os boletins epidemiológicos divulgados pelas secretarias municipais de saúde na 5ª feira (30), os números passaram a ser os seguintes: Goiânia – 448; Aparecida de Goiânia – 55; Anápolis – 46. Os dados divergem ligeiramente daqueles divulgados pelo Governo de Goiás, mas a ordem segue a mesma. Assim, o número de casos confirmados em Aparecida mais do que dobrou em um período de menos de 1 semana. Eram apenas 21 no dia 24 de abril [veja no gráfico]. Uma das hipóteses para o aumento tão acentuado foi ampliação na testagem, colocada em prática desde o dia 22. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Aparecida, o número de testes semanais para diagnóstico da covid-19 foi de 15 para cerca de 250. O acréscimo se deve à contratação de um laboratório particular, que realiza e entrega o resultado em até 24h. Além disso, a cidade flexibilizou as medidas de isolamento e, desde a última 3ª (28), 80% das atividades comerciais voltaram a funcionar no município. Caiado A curva acentuada nos casos em Aparecida causou preocupação no governador Ronaldo Caiado, que pretende marcar uma reunião com o prefeito Gustavo Mendanha para tratar do problema. Apesar de reconhecer que Gustavo tem sido prudente no enfrentamento à pandemia, Caiado destaca que a flexibilização deve ser acompanhada de perto. “Esse crescimento de quase zero até 50 é algo que a gente precisa monitorar. Vou entrar em contato com o Gustavo Mendanha. Ele é uma pessoa com que tenho uma parceria de trabalho, tem sido extremamente prudente”, disse o governador durante live para a Agência Brasil Central.

0 Likes, 0 Comments – Folha Z (@folhaz) on Instagram: “Aparecida de Goiânia ultrapassou Anápolis e agora é a 2ª cidade com mais casos confirmados de…”

Uma das hipóteses para o aumento tão acentuado foi ampliação na testagem, colocada em prática desde o dia 22.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Aparecida, o número de testes semanais para diagnóstico da covid-19 foi de 15 para cerca de 250.

O acréscimo se deve à contratação de um laboratório particular, que realiza e entrega o resultado em até 24h.

Além disso, a cidade flexibilizou as medidas de isolamento e, desde a última 3ª (28), 80% das atividades comerciais voltaram a funcionar no município.

Caiado

Ronaldo Caiado e Gustavo Mendanha | Foto: Folha Z
Ronaldo Caiado e Gustavo Mendanha | Foto: Folha Z

A curva acentuada nos casos em Aparecida causou preocupação no governador Ronaldo Caiado, que pretende marcar uma reunião com o prefeito Gustavo Mendanha para tratar do problema.

Apesar de reconhecer que Gustavo tem sido prudente no enfrentamento à pandemia, Caiado destaca que a flexibilização deve ser acompanhada de perto.

“Esse crescimento de quase zero até 50 é algo que a gente precisa monitorar. Vou entrar em contato com o Gustavo Mendanha. Ele é uma pessoa com que tenho uma parceria de trabalho, tem sido extremamente prudente”, disse o governador durante live para a Agência Brasil Central.

Motoristas de vans de Aparecida querem atuar no transporte coletivo


Acompanhe tudo que acontece em Aparecida de Goiânia seguindo a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook