O Governo Federal estuda uma forma diferenciada para prorrogar o auxílio emergencial seja: 3 parcelas mensais de R$ 500, R$ 400 e R$ 300.

Segundo a jornalista Cristiana Lôbo, que acompanha os bastidores do Executivo, essa é a ideia preferida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Contudo, a equipe econômica do governo se atém ao anúncio do ministro Paulo Guedes, de que a prorrogação será de 2 parcelas de R$ 300.

Por outro lado, Bolsonaro já afirmou que não repetirá o pagamento de mais 3 meses de R$ 600.

Nova proposta de prorrogação

A nova proposta em 3 parcelas mensais de R$ 500, R$ 400 e R$ 300 é estimulada pela área política do governo.

A intenção da equipe, além de preparar o beneficiário para o fim do programa, é dar mais tempo para fechar a preparação do Renda Brasil, que reúne vários benefícios sociais.

O Renda Brasil deve ser lançado no 2º semestre.

3ª parcela

Apesar da expectativa, beneficiários que não estão inclusos no Bolsa Família seguem sem saber quando receberão a 3ª parcela dos R$ 600.

De acordo com o 1º cronograma divulgado pelo governo, o benefício era para ter sido pago há 1 mês.

Quem teve auxílio negado pode pedir contestação na Defensoria Pública


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook