Mais de 30 bairros de Aparecida ficam sem água após bomba queimar

Em comunicado, Saneago informou que 'troca do equipamento está sendo providenciada'. Confira a lista de setores afetados

Queima de uma bomba em poço do Sistema Independência Mansões, ocorrida no final de semana, comprometeu o abastecimento de água em Aparecida | Foto: Reprodução
Queima de uma bomba em poço do Sistema Independência Mansões, ocorrida no final de semana, comprometeu o abastecimento de água em Aparecida | Foto: Reprodução

Moradores de 31 bairros de Aparecida de Goiânia sofrem com problemas no abastecimento de água na manhã desta segunda, 19.

De acordo com informações da Saneago, uma bomba em poço do Sistema Independência Mansões queimou durante o final de semana, o que comprometeu o abastecimento na região.

Os danos teriam sido causados por um curto-circuito.

Em comunicado, a empresa informou que “a troca do equipamento está sendo providenciada”.

Além disso, há expectativa de que o fornecimento de água seja normalizado gradualmente, assim que concluídos os serviços.

“A Saneago solicita a compreensão dos consumidores e orienta para o uso moderado da água tratada”, segue a nota.

Confira quais foram os bairros afetados:

  • Bairro Independência
  • Bairro Independência Mansões
  • Chácara Santa Luzia
  • Cidade Livre
  • Colina Azul
  • Comendador Walmor
  • Conde dos Arcos
  • Jardim Cristalino
  • Jardim dos Girassóis
  • Jardim Esplanda
  • Jardim Florença
  • Jardim Ipiranga
  • Jardim Monte Cristo
  • Jardim Riviera
  • Marista Sul
  • Nova Cidade
  • Parque Atalaia
  • Parque das Nações
  • Parque Hayala
  • Parque Itatiaia
  • Residencial Vilage Garavelo
  • Residencial Vilage Garavelo II
  • Rio Vermelho
  • Setor Andrade Reis
  • Setor dos Estados
  • Setor Fabrício
  • Setor Serra Dourada I, II e III
  • Solar Central Park
  • Virginia Park

Mulher morre atropelada por caminhão na Av. Perimetral Norte


Acompanhe tudo que acontece em Aparecida de Goiânia seguindo o Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook