Preso suspeito de falsificar Cachaça Bananinha em Aparecida e na capital

Ele se passava por funcionário da fábrica que produz a bebida e foi flagrado em vídeo vendendo para uma distribuidora no Parque Anhanguera

Homem é preso suspeito de falsificar e vender Cachaça Bananinha na capital e Aparecida | Fotos: Divulgação / PC
Homem é preso suspeito de falsificar e vender Cachaça Bananinha na capital e Aparecida | Fotos: Divulgação / PC

Um homem de 37 anos foi preso acusado de falsificar bebidas alcoólicas e vender para distribuidoras da capital e de Aparecida de Goiânia.

O suspeito, que já havia sido detido pelo mesmo motivo anteriormente, foi apresentado pela Polícia Civil nesta segunda-feira, 28.

Na casa do homem foram encontrados aparelhos para realizar a falsificação e o engarrafamento.

Segundo a PC, foram consumidores desconfiaram do sabor e da aparência da bebida e resolveram procurar fazer a denúncia.

A bebida que o suspeito teria falsificado é a Cachaça Bananinha, conhecida por seu sabor adocicado.

Reincidência

Em 2018, o homem já havia sido preso em flagrante pela Polícia Militar (PM).

Ele respondia ao processo em liberdade, mas a PC descobriu que ele continuava a atividade e solicitou à Justiça uma nova prisão.

O suspeito chegou a trabalhar em uma fábrica de cachaça até 2018. Quando saiu do emprego, ele teria passado a falsificar a bebida.

Para vender o produto, o homem se passava por um funcionário da fábrica que produz a cachaça.

Segundo o delegado Frederico Maciel, responsável pela Delegacia de Repressão a Crimes contra o Consumidor (Decon), o suspeito confessou o crime.

Ainda conforme Frederico, a investigação durou alguns meses, até que imagens suficientes fossem ajuntadas para pedir o novo encarceramento.

Uma das imagens obtidas pela PC mostra o suspeito vendendo a bebida em uma distribuidora do Parque Anhanguera, em Goiânia.

Agora, o homem passará novamente por uma audiência de custódia para saber se continuará preso.

Mulher é morta a tiros no Nova Olinda em Aparecida


Acompanhe tudo que acontece em Aparecida de Goiânia seguindo a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook