Caseiro de Amado Batista é denunciado por homicídio triplamente qualificado

(Foto: Reprodução)
Josiana foi morta pelo marido, o caseiro Júnior Gomes (Foto: Reprodução)

O promotor de Justiça Eliseu Antônio da Silva Belo ofereceu, nessa segunda-feira (6), denúncia contra o caseiro Júnior Gomes de Oliveira Rocha pela morte de sua mulher, Josiana Agostinho da Rocha Oliveira. O crime aconteceu no dia 19 de março, no sítio Esperança, de propriedade do cantor Amado Batista.

Segundo apontado na denúncia, o casal, que morava no sítio, localizado na zona rural de Goianápolis, bebeu durante todo o dia e, ao final da tarde, teve uma discussão. Irritada, Josiana disse que iria embora e levaria a motocicleta do casal.

Neste momento, o caseiro alegou que não aceitaria a separação e nem que a companheira levasse a moto. No entanto, ele se ofereceu para levar a mulher até a estrada (BR-060) para que ela pegasse carona. Contudo, durante o trajeto, eles voltaram a discutir e iniciaram as agressões físicas contra a vítima.

Agressão e morte

Júnior Rocha teria agredido a mulher e a jogado no chão e, antes que ela conseguisse se levantar, a estrangulou. Em seguida, pegou a vítima, colocou novamente sobre a moto e, ao passar sobre um mata-burro, a vítima caiu do veículo e bateu a cabeça no chão. Pouco depois, ele escondeu o corpo em um matagal, à beira da estrada.

Tomou banho e dormiu

Após a morte da esposa e ocultar o cadáver da vítima em um matagal na lateral da estrada, o caseiro voltou para casa, tomou banho e dormiu.

De acordo com o promotor, “o motivo que levou o denunciado a praticar o crime, com tanta crueldade, foi exatamente o fato de não aceitar o fim do relacionamento amoroso e por não querer ceder à motocicleta pertencente ao casal à mulher”. Júnior Rocha foi denunciado por homicídio triplamente qualificado. Ele está detido no presídio de Anápolis.

Comentários do Facebook