PF rastreia hackers que teriam atacado membros da Lava Jato, diz revista
PF rastreia hackers que teriam atacado membros da Lava Jato, diz revista | Foto: Reprodução

A Polícia Federal deve concluir investigação nas próximas semanas contra supostos hackers que teriam invadido celulares de membros da Lava Jato.

Isso é o que noticia matéria da “Revista Istoé” nessa quinta, 20.

De acordo com o texto, o resultado do levantamento poderia representar “uma bomba capaz de provocar uma reviravolta no caso”.

A matéria aponta que a PF identificou conexões do grupo no Brasil, em especial em Santa Catarina.

Além disso, haveria rastros também no exterior, com o suposto envolvimento de agentes na Rússia e até em Dubai, nos Emirados Árabes.

A ação é coordenada pelo diretor-geral da corporação, Maurício Valeixo.

Segundo as informações, a polícia trabalha para traçar uma ligação entre o jornalista Glenn Greenwald, editor do Intercept Brasil, e os bilionários Durov, donos do app Telegram.

Bilionários Nikolai e Pavel Durov, donos do app Telegram
Bilionários Nikolai e Pavel Durov, donos do app Telegram | Foto: Reprodução

Assim, Nikolai e Pavel Durov teriam financiado a ação dos hackers por motivação religiosa.

Isso porque eles, supostamente adeptos do islamismo, estariam retaliando a aproximação do presidente Jair Bolsonaro (PSL) a Israel.

Por fim, a matéria diz ter confirmado que a PF rastreia um pagamento de US$ 308 mil em bitcoins a um famoso hacker, intitulado Slavic ou “lucky12345”.

Contraditório

Em contrapartida, o historiador especialista em política internacional Filipe Figueiredo questionou o teor da matéria.

Segundo ele, alguns equívocos podem ser identificados no texto.

Como, por exemplo, o fato de os irmãos Durov serem, muito provavelmente, ateus.

Ou ainda o valor de 300 mil dólares para um hacker conhecido por aplicar golpes de milhões: “Não é um valor razoável”.

Intercept

Em parceria com o Intercept Brasil, o jornalista Reinaldo Azevedo publicou mais 1 trecho das conversas vazadas do procurador Deltan Dallagnol nessa quarta, 20.

De acordo com a publicação, o ex-juiz Sérgio Moro teria influenciado a ação da força-tarefa da Lava Jato.

Isso porque Dallagnol teria acatado a sugestão de Moro de afastar a procuradora Laura Tessler do caso Lula.

“Evidencia que os fatos contradizem a fala do ministro Sérgio Moro na audiência desta quarta na Comissão de Constituição e Justiça do Senado”, escreveu o jornalista em seu blog.

Procuradora Laura Tessler
Procuradora Laura Tessler | Foto: Reprodução

OPINIÃO: ‘Moro e Dallagnol foram apanhados em cena de amor selvagem’


Acompanhe o Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook