Cola super bonder teria sido usada em curativo, suspeita delegada

Maria José no hospital após a segunda aplicação de hidrogel (Foto: Divulgação)
Maria José no hospital após a segunda aplicação de hidrogel (Foto: Divulgação)

A assistente de leilões Maria José Medrado de Souza Brandão, 39 anos, morta no último dia 25 após aplicação de hidrogel nas nádegas, teve, de acordo com a delegada Myrian Vidal, os curativos feitos com gaze e cola super bonder. Informação esta confirmada pelo filho da vítima, Leonardo Medrado.

Investigação

As investigações apontam como causa da morte de Maria José embolia pulmonar. Após ouvir os filhos da vítima, a delegada Myrian Vidal segue com os depoimentos. O mais aguardado é da responsável pela segunda aplicação, identificada apenas como Raquel. Ela deve prestar esclarecimentos na próxima segunda-feira.

O presidente do Conselho Regional de Biomedicina, Rony Marques de Castilho, afirmou que Raquel “não possui registro em nenhum lugar do País.”

 

 

Comentários do Facebook