Coluna Na Marca do Pênalti – Empolgação no campeonato estadual é sinônimo de fracasso no Brasileirão

Na marca do Pênalti

Somente se uma zebra passear pelo estádio Serra Dourada, no domingo, para o Goiás não conquistar o 25º título de campeão goiano.

Em mais um campeonato fraco, sem grandes jogadores, com poucos jogos de emoção e arquibancadas vazias, o Goiás vai erguer o caneco sem dificuldades. Do único adversário que se esperava algo, o Atlético, veio a maior decepção. O time nem se classificou.

Brasileirão

Jogadores do Goiás (ao fundo) comemoram gol contra a Aparecidense (Foto; Site Goiás)
Jogadores do Goiás (ao fundo) comemoram gol contra a Aparecidense (Foto; Site Goiás)

Com um time fraco e um elenco limitado, o Goiás não pode e nem deve tirar de base o estadual para a disputa do Campeonato Brasileiro série A.

O atual elenco esmeraldino não joga nem série B. As contratações anunciadas não podem ser chamadas de reforços e, sim, de apostas. Esse é o Goiás 2015.

Já a Aparecidense conseguiu um fato inédito: ser finalista, e com méritos. Fez uma boa campanha, mas sucumbiu à grandeza do Goiás na final e dificilmente vai reverter a vantagem do time esmeraldino.

Ao Goiás, principalmente aos senhores Hélio dos Anjos, Harlei e Sérgio Rassi, resta sentar e avaliar as peças do elenco e o duro Brasileirão que se aproxima. Nem vamos entrar no assunto Copa do Brasil.

Torcedor esmeraldino, não se empolgue. O Goiás deve eliminar mais dois adversários, no máximo, na Copa do Brasil, até cruzar com uma equipe da série A.

A diretoria sempre teve um péssimo hábito de se empolgar com o time que vence o estadual. Se isso acontecer nesta temporada, a série B será inevitável.

Tigrão de volta

 

Vila garante acesso com vitória sobre o Anápolis
Vila garante acesso com vitória sobre o Anápolis

O Vila Nova garantiu o retorno à primeira divisão do futebol goiano, mas não há muito o que comemorar. Não fez mais do que a obrigação.

O time ainda busca o título da Divisão de Acesso, o que não é uma obrigação, mas subir como segundo colocado também não pega bem para o Vila. O importante é que o objetivo foi alcançado.

O recado para a diretoria colorada é o mesmo para a cúpula esmeraldina. Não empolgar com um time em uma competição estadual. Nem de longe ela se equivale a uma disputa nacional.

A série C vem por aí e as obrigações continuam. O time precisa subir e, para isso, precisa de reforços.

O elenco colorado precisa ganhar corpo para disputar uma terceira divisão com jogos difíceis, torcida em cima, campos ruins e adversários encardidos. O caminho para a série B é árduo.

Comentários do Facebook