Como saber se um carro é clonado? Confira 7 dicas importantes

Atenção aos pequenos detalhes serão grande diferencial para não entrar em uma 'roubada'

dicas para não comprar carro clonado
Confira 7 dicas importantes para não comprar carro clonado | Foto: Ilustração

Quem deseja economizar um pouco e não faz questão de ter um veículo zero, pode optar por um usado, mas isso exige bastante atenção na hora da compra.

É preciso ter cuidado para não comprar um carro clonado, sem defeitos ou com problemas de funcionamento.

A questão é que as pessoas se preocupam mais com a parte mecânica e não dão tanta atenção à documentação e detalhes que podem indicar se existe algum tipo de fraude.

Para não ter problemas em adquirir um carro clonado, enquanto estiver procurando um para comprar é preciso ficar atento a diversos pontos.

Veja quais são eles para evitar problemas futuros.

Dicas importantes para fugir de carro clonado
Antes de fechar o negócio, veja dicas importantes para não levar um carro clonado | Foto: Divulgação

1. Procure por uma fonte confiável para não comprar um carro clonado

Uma das maneiras de garantir que não adquirirá um veículo com problema é saber da
procedência dele.

Concessionárias e lojas de veículo, com boa reputação, podem ser a melhor opção.

Como possuem experiência nesse tipo de negociação e não querem ter o nome manchado, trabalham apenas com carros de boa procedência.

Se o caminho for adquirir de outra pessoa, dê preferência por conhecidos, pois, ao conhecer a pessoa, dificilmente ela tentará te aplicar um golpe.

2. Pesquise sobre o veículo

O vendedor provavelmente te informará se o carro tem multas, se está com a documentação correta e a apresentará.

Apesar disso, não deixe de fazer a sua própria pesquisa para ter certeza de que não há nenhuma irregularidade.

Entre no site do Detran e verifique se o carro não possui histórico de roubo, se existem multas, pendências financeiras e outras.

3. Faça uma vistoria

A vistoria costuma ser mais usada para saber se o carro não possui nenhum problema que
possa impedir o seu funcionamento.

Além disso, serve para indicar se ele já passou por colisões e identificar se existe clonagem.

Existem empresas especializadas nesse tipo de análise e, por mais que o serviço seja pago, o valor é um investimento para que evite problemas futuros.

4. Peça uma cotação do seguro

Peça ajuda de um corretor para fazer a simulação do seguro auto antes de adquirir o veículo.

As seguradoras possuem acesso à muitas informações que podem te fazer não comprar um
carro clonado, se houver algum indicativo de fraude registrado para elas.

Para não inibir o vendedor, peça o documento dizendo que fará a simulação para ter ideia de quanto pagará no seguro.

Afinal, precisará fornecer dados específicos do veículo para ter essa constatação.

5. Desconfie de valores muito baixos

Os carros possuem uma média de preço e as pessoas não querem perder dinheiro na venda.

Por isso, anúncios que têm o valor muito baixo são um indicativo de problema, pois podem ser de um carro roubado ou clonado.

Os bandidos fazem esses anúncios para atrair as pessoas e ganharem dinheiro, porém, quem adquire está comprando um verdadeiro problema.

6. Confira o número do chassi

Essa é uma dica simples que qualquer pessoa pode usar, não é preciso ser especialista.

Verifique o número impresso no chassi: ele deve bater com o dos vidros e o documento.

Essa é uma indicação única do veículo e, se houver qualquer divergência, pode ser um sinal de alteração.

7. Desconfie de carros em nome de terceiros

Não caia na história de ‘estou vendendo o carro para minha tia idosa’ ou ‘é o meu irmão e eu estou ajudando ele’.

Prefira comprar o carro direto do proprietário e sempre peça os documentos originais dele
para verificar se os dados conferem com o do dono do carro.

Adotar cuidados para não comprar um carro clonado traz mais tranquilidade e segurança para adquirir um veículo.

Portanto, não se esqueça de verificar todos os pontos citados enquanto estiver fazendo a sua pesquisa.

Seu carro foi roubado? Acesse o site da PRF e gere um alerta para policiais em raio de 100 km


Acompanhe o Folha Z no FacebookInstagram e Twitter

Comentários do Facebook