Como separar o lixo em casa de forma correta, simples e rápida

Dicas ajudam no dia a dia e tornam o mundo mais sustentável

Como separar o lixo em casa
Pequenos hábitos na hora de separar o lixo são essenciais para o armazenamento e transporte desses resíduos | Foto: Ilustração

O Brasil produz, atualmente, cerca de 255 mil toneladas de lixo por dia, segundo a última pesquisa de saneamento básico consolidada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2018.

O chamado lixo domiciliar equivale a pouco mais da metade desse volume, ou 130 mil toneladas diárias.

Do total de resíduos descartados em residências e indústrias, apenas 6.000 toneladas, ou aproximadamente 3% do total, são destinadas à coleta seletiva.

Quase 70 mil toneladas de resíduos são despejados todos os dias em lixões a céu aberto, o que representa um risco à saúde e ao ambiente.

Mudar esse cenário envolve a redução de padrões sociais de consumo, a reutilização dos materiais e a reciclagem. Vamos às dicas!

Tenha duas lixeiras diferentes

O lixo orgânico é automaticamente separado do reciclado com esse método.

Vale comprar duas lixeiras de cores diferentes ou até mesmo grudar um adesivo grande na frente de cada uma.

Amasse latinhas e garrafas PET

Tornar o lixo compacto melhora o seu armazenamento.

Garrafas de plástico e latinhas podem ter o seu tamanho reduzido sendo pisadas ou amassadas com as mãos.

Cuidado para não se cortar!

A caixa da pizza não é reciclável!

O mesmo vale para papéis higiênicos, pontas de cigarro, coadores de café descartáveis, fraldas, guardanapos e papéis-toalha engordurados ou quaisquer papéis que contenham materiais orgânicos.

Diferente dos papéis apenas molhados – esses sim, são recicláveis.

Diminua as dimensões dos papéis

Sempre que você fizer uma limpa de papéis como contas pagas, rascunhos, jornais velhos e outros documentos antigos, pique-os em tamanhos minúsculos.

Dessa forma, além de proteger os seus dados que podem constar ali, também ajuda o pessoal da coleta que poderá armazená-lo de maneira mais prática e inteligente.

Embalagens recicláveis secas

Uma vez que tenha terminado de usar uma embalagem de plástico ou vidro, enxague-a para remover o resíduo remanescente e deixe-a de cabeça para baixo secando na pia ou no escorredor.

Só então deposite-a na lixeira de recicláveis.

Óleo de cozinha

O óleo de cozinha pode contaminar um milhão de litros de água, segundo estudos.

Ao dispensá-lo direto na rede de esgoto, você também pode entupir a tubulação e contaminar não só a água, mas também o solo e diminuir a expectativa de vida de animais em contato com aquele ambiente.

Envie esse material para reciclagem em ONGs especializadas no assunto.

Proteja os profissionais de materiais cortantes

O vaso caiu e voou vidro para todo lado.

Você precisou de alguns minutos para prestar bastante atenção se não sobrou nenhum caco no chão pois ele poderia cortar alguém da sua família, certo?

Então separe mais um tempinho para enrolar esse material em jornal ou depositá-lo em uma caixa de papelão.

Para ajudar ainda mais, escreva “VIDRO” na embalagem e evite acidentes!

E aquele fax que tá no fundo do armário?

Lixo eletrônico não pode ser dispensado de forma comum.

Seus componentes são perigosíssimos para o meio ambiente.

A forma correta de descarte é contatar o fabricante sobre mais informações a respeito do descarte correto.

Caso não tenha uma resposta, a melhor forma é levá-lo ao ferro velho mesmo.

Quem pensa em comprar um apartamento em São Paulo, há algumas regiões como os apartamentos nos Jardins ou no Itaim Bibi já podem contar com o serviço de coleta seletiva no próprio condomínio, o que torna a prática muito mais simples.

Pensar em um mundo melhor é agir de forma consciente.

Que essas dicas transformem-se em um novo e importante hábito no dia a dia da sua casa!

Saiba como funciona o serviço do cata-treco em Goiânia


Acompanhe o Folha Z no FacebookInstagram e Twitter

Comentários do Facebook