Concursados da UEG em 2015 ainda não foram convocados e reclamam de temporários

Concursados da UEG reclamam da irregularidade dos contratos temporários na instituição (Foto: Reprodução)
Concursados da UEG reclamam da irregularidade dos contratos temporários na instituição (Foto: Reprodução)

Aprovados em concurso público da Universidade Estadual de Goiás (UEG) ainda em 2015 e esperando a nomeação, um grupo de descontentes organizou uma comissão para exigir a posse dos concursados.

As 500 vagas para o quadro técnico-administrativo, em cargos de nível médio e superior, devem ser preenchidas até setembro, data de vencimento do concurso. O prazo, no entanto, pode ser prorrogado em mais um ano.

O edital foi aberto em 2014, mas o governo alega que realiza estudo sobre o impacto financeiro da efetivação dos cargos antes de convocar os aprovados.

LEIA MAIS: Centros de reabilitação de dependentes não saem das promessas de campanha do governador

Temporários

A reclamação dos aprovados é de que existem quase dois mil contratos temporários na UEG. Para eles, no lugar de empossar os concursados, o Estado prefere renovar irregularmente o contrato dos temporários.

Segundo a Comissão dos Aprovados, alguns dos funcionários contratados estão na universidade há 17 anos. Essa prática entraria em conflito com a lei estadual 13.664 de 2002, que determina que temporários podem ser contratados por órgãos estaduais por prazo determinado e de, no máximo, três anos de duração.

Posição oficial

De acordo com a UEG, o processo de chamamento está na Junta de Programação Orçamentária e Financeira (Jupof), da Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento (Segplan), que definirá a data de convocação assim que estiver finalizado o estudo de impacto financeiro.

Comentários do Facebook