Enquanto a Copa não começa…

Andréia Magalhães é docente na Estácio de Sá/GO, IPOG e Diretora na CGJGO
Andréia Magalhães é docente na Estácio de Sá/GO, IPOG e Diretora na CGJGO

Atualmente os gestores brasileiros tem mostrado eficiência ímpar na administração do país. É indiscutível que a atuação da gestora maior dessa República seja passível de comentários da sociedade em geral. Algumas situações necessitam ser pontuadas, como por exemplo, a Petrobrás que agora é assunto internacional e se transformou na própria vergonha nacional.

Sequenciando a trapalhada pública, tem a situação da energia elétrica a qual estamos submetidos e teremos que aceitar qualquer nova medida tomada pelo então atuante senhor ministro.

Ainda sob a mesma direção positiva de sucesso é possível sentir no bolso a alta da SELIC que em pouco mais de um ano subiu 3,75%. Indago aos leitores deste desabafo: um comando nacional que não consegue manter a economia do Brasil uniforme está bem? Pela nona vez seguida há aumento na taxa referencial de juros, então como seria possível haver crescimento econômico? E tem ainda a educação brasileira que aguarda ironicamente sentada o repasse do PIB que nunca chega! Não sei não, mas as questões com relação à saúde pelo jeito vão esperar bastante também.

Agora, o mundial de futebol tem todas as atenções voltadas para si. É incrível como os administradores do executivo andam gostando desse esporte. Chega a ser impressionante. Não que eu seja contra a copa do mundo, essa menção foi só para ilustrar que tudo que a sociedade necessita deveria ter o mesmo privilégio!

Andréia Magalhães é docente na Estácio de Sá/GO, IPOG e Diretora na CGJGO

 

Comentários do Facebook