Franquias crescem na crise. Para economista, elas têm mais chance de acerto

Franquias têm modelo detalhado para quem se aventurar (Foto: Reprodução)
Franquias têm modelo detalhado para quem se aventurar (Foto: Reprodução)

Será que vale a pena investir em franquias em plena recessão? O cenário econômico brasileiro de 2015 mostrou-se frágil. O mercado de trabalho sofreu o maior impacto, com cerca 8,4 milhões de pessoas desempregadas, segundo dados do IBGE. Mesmo assim, as franquias apresentaram uma perspectiva positiva para o ano, de acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF). Em 2015, quase 1,3 milhão de brasileiros se tornaram empreendedores.

Mas qual é o segredo do sucesso das franquias em meio a um ambiente tão pouco favorável à expansão? “A gestão, servir comida de verdade, com ingredientes de qualidade e preço justo”, respondeu Carlos Eduardo Borges, diretor comercial e um dos proprietários da Rede Tio Bákinas e UnderDog, com atuação em Goiânia, Aparecida de Goiânia e Anápolis e expandindo por todo Estado de Goiás.

Características

“Esse cenário foi uma grande oportunidade para o nosso negócio por diversos motivos. Nossa franquia tem custo bem abaixo de outras do segmento, os resultados são atrativos, tempo médio de retorno de investimento entre 12 e 24 meses, custo fixo baixo, faturamento médio expressivo, lucratividade entre 15% e 25% e fabricação própria de 70% dos insumos”, esclareceu Carlos Eduardo.

LEIA MAIS: WhatsApp vai parar de funcionar em celulares mais antigos. Veja se o seu é um deles

O Tio Bákinas começou como um pequeno Pit-Dog – nome para pequenas lanchonetes no Centro-Oeste –, há sete anos. Quatro anos depois já atuavam como franquia junto a outra rede, o UnderDog. “Aprendemos nesse tempo que franquia é um modelo interessante para expandir qualquer negócio e que a relação de franqueadora e franqueado deve ser franca e respeitosa, na qual ambas as partes são de extrema importância.

Responsabilidades

Durante o processo de seleção de franqueados, o empresário explicou que deixa clara a necessidade do ‘trabalho duro’ e dedicação por parte dos franqueados, pois o dono da loja é o principal responsável pelo sucesso do negócio.

Ele ainda adverte não ser uma tarefa tão fácil como muitos imaginam. “Vivemos de resolver problemas, porém é uma atividade que pode dar um bom dinheiro. É muito prazeroso o relacionamento com o cliente, ver seu negócio crescer e os consumidores voltarem ao seu estabelecimento por mérito de um trabalho seu e de sua equipe”, expressou.

Modelo de sucesso

Ao voltar para economia atual em que se encontra o Brasil, a economista Andréia Magalhães de Oliveira afirma que embora o momento seja de desajuste, o comércio de franquias é positivo. Para ela o tipo de empreendimento surge de uma empresa já consolidada no mercado, o que pode oferecer uma certeza a mais e resultados positivos aos franqueados.

“As franquias permitem aos empresários um negócio com mais possibilidades de acerto. É um segmento de mercado que cresce a cada dia mais. Além disso, o empreendedor se ajustará de acordo com suas possibilidades financeiras”, lembra ela.

Comentários do Facebook