Goiânia: 5ª melhor capital brasileira para criar os filhos

Goiânia
Viaduto da Avenida T-63 com a Avenida 85

Um levantamento realizado pela consultoria Delta Economics & Finance para Exame.com, coloca Goiânia como a 5ª capital e a 14ª cidade que propicia melhores condições para criar filhos. A capital obteve 32,05 pontos, 66,78% do total, ficando na frente de cidades como Brasília, Porto Alegre, Guarulhos, Rio de Janeiro, Campinas, São Paulo e Uberlândia.

O secretário de Desenvolvimento Urbano Sustentável (Semdus), Paulo César Pereira, assegura que as avaliações favoráveis são resultado do trabalho realizado. “Esses dados explicam o trabalho silencioso e responsável desenvolvido pela atual administração municipal. Os desafios enfrentados e as críticas pontuais não impedem que os dados apontem para o resultado das ações de uma gestão planejada, comprometida com o interesse público e atenta ao crescimento exponencial da nossa capital, pautada pelo zelo com a qualidade de vida da nossa população.”

IDH e participação popular 

A consultoria analisou 48 fatores determinantes para o desenvolvimento de crianças e adolescentes, como o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do município, Saúde, Educação, Economia e domicílios. O destaque na pontuação de Goiânia foi o índice Governabilidade, no qual a capital atingiu nota máxima. A variável mensurou a elaboração da Agenda 21, do Plano Municipal de Política para as Mulheres e do Conselho Municipal de direitos da mulher. De acordo com a avaliação, Goiânia está em dia com esses pontos.

O diretor de gestão ambiental da Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), Henrique Labaig, destaca o grande número de parques implantados nos últimos anos como um ponto de relevância para o cumprimento da Agenda 21. “A participação popular na discussão para criação dos espaços de convivência na cidade e a preservação dos recursos naturais mostram a preocupação da administração municipal com a sustentabilidade”, enfatiza.

Goiânia
Parque Vaca Brava, em Goiânia

O IDH da Região Metropolitana de Goiânia, medido em novembro de 2014 como o sétimo melhor entre as capitais brasileiras, também contribuiu com a posição no ranking divulgado pela Exame.com. Educação, longevidade e renda foram os itens mais bem avaliados, permitindo que a capital subisse 22 posições em dez anos.

De um total de cinco pontos, a capital atingiu 4,81 no quesito Domicílio, que avaliou o percentual da população que vive em residências e que possuem água encanada, banheiro, coleta de lixo, energia elétrica e abastecimento de água e esgoto adequados.

Dentre as 14 primeiras cidades da lista, Goiânia obteve a sétima melhor nota no item Saúde. Se avaliarmos separadamente os itens Educação e Domicílio, a capital subiria duas posições e, levando em conta o resultado obtido com as variáveis IDH, Econômica e Segurança, a capital ficaria na 13ª posição.

Pesquisas

Em 2012, estudo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que Goiânia é a capital brasileira com os melhores índices de infraestrutura urbana no entorno dos domicílios consultados para o Censo Demográfico 2010.

Já em 2013, a região metropolitana da capital foi apresentada como a quarta melhor em bem-estar, a com maior potencial econômico e populacional do país. A constatação foi do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Observatório das Metrópoles, que desenvolveu o Índice de Bem-Estar Urbano (IBEU). A partir de levantamento do site Numbeo, em 2014, onde usuários registram preços de produtos, salários e outros dados de suas cidades, Goiânia foi apontada como a cidade com maior poder de compra do Brasil e a nona no mundo.

Com informações da Secom

Comentários do Facebook