Goiânia vive surto de diarreia provocado por rotavírus

Profissionais da saúde orientam que as pessoas devem se higienizar para prevenir a rotavírus | Foto: Divulgação
Profissionais da saúde orientam que as pessoas devem se higienizar para prevenir a rotavírus | Foto: Divulgação

A Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS) detectou nas últimas quatro semanas oito casos de diarreia causadas por rotavírus na cidade, identificados em crianças menores de quatro anos.

A doença diarreica aguda (DDA) é uma síndrome causada por diferentes agentes etiológicos (bactérias, vírus e parasitas), sendo o rotavírus o pior agente causador.

O principal sintoma é o aumento  do número de evacuações, com fezes aquosas ou de pouca consistência.  Podem ser acompanhadas por náusea, vômito, febre e dor abdominal e, geralmente, duram de 2 a 14 dias. Normalmente acomete mais as crianças e a transmissão se dá por via fecal-oral, pelo contato direto entre as pessoas, por utensílios, brinquedos, água e alimentos contaminados.

LEIA MAIS: Greve da Saúde seguirá até que governo negocie todas as reivindicações

SMS

A SMS orienta a população para a prevenção da doença por meio de práticas higiênicas tradicionais como lavagem de mãos, controle da qualidade da água e dos alimentos e destino adequado dos dejetos e do esgoto.

A gerente de imunização da SMS, Grécia Pessoni, destaca que é importante que as mães não atrasem o esquema de vacinação. A vacina é disponibilizada para crianças de dois e quatro meses. Sendo que a primeira dose deve ser feita até os três meses e quinze dias e a segunda até sete meses e vinte e nove dias. Se o indivíduo apresentar os sintomas deve procurar atendimento médico.

Acompanhe o Folha Z no Facebook, InstagrameTwitter

Comentários do Facebook