Goiás e Vila sonham acordados – JOGO LIMPO com Rodrigo Czepak

Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

Goiás e Vila prometem reformar seus estádios (Foto: Reprodução)
Goiás e Vila prometem reformar seus estádios (Foto: Reprodução)

Goiás e Vila sonham acordados

Como o nível de rivalidade e emoção do Campeonato Goiano está bem próximo do volume morto, Goiás e Vila Nova apresentaram à imprensa seus projetos para ampliação dos estádios da Serrinha e Onésio Brasileiro Alvarenga (OBA). É louvável o desejo das duas diretorias em proporcionar mais conforto às suas torcidas, entretanto não poderia haver momento mais inoportuno para a discussão de gastos exorbitantes no futebol.

Exemplo do Olímpico

Independente do montante – R$ 1 milhão, R$ 10 milhões ou R$ 20 milhões – a verdade que não existe a mínima perspectiva de apoio privado ou público para a concretização dos sonhos de Goiás e Vila Nova. Os maiores rivais do futebol goiano simplesmente começariam as obras sem a menor perspectiva de conclusão. O antigo Estádio Olímpico da Avenida Paranaíba é o exemplo mais latente de projeto megalomaníaco que está para ser concluído há mais de uma década.

Serra Dourada é o palco máximo do futebol goiano (Foto: Reprodução)
Serra Dourada é o palco máximo do futebol goiano (Foto: Reprodução)

Serra de problemas

Já o Serra Dourada deixou de ser sinônimo de orgulho para o povo goiano e se transformou em motivo de vergonha e lamentação. O estádio sofreu sucessivas reformas paliativas, apenas para receber amistosos e jogos oficiais da seleção brasileira, e por isso carece de uma profunda reestruturação para não oferecer risco aos torcedores. O Serra Dourada da aprovação hoje é caso de interdição.

Prioridades perdidas

Você liga o rádio ou a tevê e a autoridade fala bonito: “Estamos implementando políticas públicas para garantir dignidade ao cidadão”. No jornal o discurso segue padrão semelhante: “Vamos criar uma força-tarefa para produzir rapidamente as respostas que a sociedade espera do poder público”. O mesmo modelo é seguido nas redes sociais: “Nosso principal objetivo é promover qualidade de vida aos mais necessitados #governandoparatodos”.

LEIA MAIS: Vereadores querem fim do expediente reduzido na prefeitura

Poucos se salvam

Que bom seria se as palavras pudessem atingir o nível de respeito e credibilidade que delas se espera. A realidade, de fato, aponta para o enorme descaso com saúde, educação, segurança e infraestrutura. E a expressão força-tarefa já caiu na vala comum da administração pública, afinal o esforço coletivo de órgãos e entidades para enfrentar situações alarmantes deveria ser automático. Não se trata de um comentário específico sobre governo A ou B, mas um desabafo em relação à inércia dos gestores públicos, com raras exceções.

Comentários do Facebook