Guarda Civil de Aparecida atira acidentalmente na cabeça de amigo

'Salva meu amigo': Eles estariam bebendo cerveja quando o suspeito, ao mostrar a arma para o outro, disparou sem querer. Vítima está em estado grave e autor do disparo deixou a prisão após audiência de custódia

Um guarda civil municipal de Aparecida de Goiânia, 38 anos, foi preso suspeito de atirar na cabeça do próprio amigo, um bombeiro militar de mesma idade.

A ocorrência foi registrada na noite de 4ª feira (9), na casa do investigado, que fica no Setor Faiçalville, na capital.

Segundo o suspeito, eles estavam bebendo cerveja e ouvindo música quando, em determinado momento, ele decidiu mostrar a arma ao amigo, que disparou acidentalmente.

Atingido, o bombeiro foi socorrido inconsciente e encaminhado ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

O último boletim médico divulgado pela unidade relatou que ele está sedado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Já o suspeito foi levado à Central de Flagrantes e deixou a prisão após passar por uma audiência de custódia nesta 5ª (10).

Tiro acidental

De acordo com a polícia, militares foram acionados para atender uma ocorrência de disparo de arma de fogo.

Quando chegaram ao local, os policiais foram bloqueados por um carro em que estava o suspeito.

Assim que ele percebeu a chegada da polícia, o guarda desceu do veículo com as mãos para cima falando: “Salva meu amigo. Matei meu amigo. Matei quem não devia”.

Em busca pelo carro em que estava o suspeito, os militares encontraram uma pistola calibre 380.

Seguindo com o andamento da ocorrência, os policiais foram até a casa onde o fato ocorreu e viram o bombeiro caído no chão.

Junto com ele, havia uma lata de energético e várias garrafas de cerveja, além da capsula deflagrada.

Nota da Guarda Civil de Aparecida

Em nota, a Guarda Civil Municipal (GCM) de Aparecida reforçou que o tiro foi acidental e os envolvidos realmente são amigos.

Além disso, a corporação relatou que o bombeiro pediu ao guarda para ver a arma, que disparou mesmo sem estar com a munição principal, já que ainda havia uma bala.

A GCM também disse que está apurando os fatos, afastou o suspeito das funções e segue prestando todo apoio à família da vítima.

A orientação aos guardas, conforme a corporação, é a de não manusear a arma fora de serviço.

Comentários do Facebook