Homem de 54 anos morre espancado no Complexo Prisional de Aparecida

Ele cumpria prisão temporária na Central de Triagens do presídio. Advogado vai acionar a OAB para tratar do caso

Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia | Foto: Folha Z
Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia | Foto: Folha Z

Um homem de 54 anos morreu espancado dentro do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

Segundo a Declaração de Óbito, Vadeusim Cordeiro da Silva faleceu no sábado, 9.

Ainda de acordo com o documento, as causas da morte são asfixia, tromboembolismo pulmonar, imobilização e espancamento.

O homem cumpria prisão temporária na Central de Triagens do presídio.

Ele era acusado pelo crime de estupro contra duas menores de idade.

Seu advogado de defesa afirma que havia solicitado que Vadeusim fosse isolado dos outros detentos na unidade, mas não foi atendido.

Agora, ele deve se reunir com a Comissão de Direito Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Goiás para tratar do caso.

DGAP

Por meio de nota, a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) afirmou que tomou “as devidas providências administrativas” ainda no domingo, 10.

Além disso, a DGAP relatou que abriu um procedimento administrativo para apurar as circunstâncias do caso e identificar os responsáveis.

Por fim, o caso foi repassado à Polícia Civil para investigação criminal.

Leia a nota:

“A 1ª Coordenação Regional Prisional da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária informa que já foram tomadas as devidas providências administrativas necessárias em relação à morte do custodiado Vadeusim Cordeiro da Silva, de 54 anos, neste domingo, 10/11.

O preso estava detido na Central de Triagem, localizada no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, com base no artigo 217 do Código Penal Brasileiro.

A direção ressalta que abriu procedimento administrativo para apuração interna da ocorrência e identificação dos responsáveis para a aplicação das sanções, na forma da lei, e realizou as notificações às autoridades competentes.

O caso foi repassado à Polícia Civil para investigação criminal e providências cabíveis.”

Comando da CPE de Aparecida foi trocado após morte do soldado Walisson


Acompanhe tudo que acontece em Aparecida de Goiânia seguindo a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook