Homicídio em boate pode ter sido motivado por tráfico

Raycá tinha 23 anos e foi morto a tiros em uma boate no último fim de semana. | Foto: Facebook
O homicídio de Raycá aconteceu em uma boate durante o fim de semana. | Foto: Facebook

Duas testemunhas do homicídio de Raycá Fernandes Albino, de 23 anos, morto dentro de uma boate na madrugada do último domingo (12), informaram à Polícia Civil que possivelmente a motivação para o crime teria sido o envolvimento da vítima com drogas.

De acordo com o delegado que assumiu o caso Paulo Ludovico, da Delegacia Estadual de Investigação de Homicídios (DIH), as duas testemunhas que presenciaram o crime foram ouvidas nesta manhã.

“Elas relataram a dinâmica do crime, informaram as características e o nome do suspeito. A motivação, segundo essas testemunhas, é o envolvimento com drogas. Tudo vai ser averiguado. Por enquanto não temos uma linha definida de investigação”, informou Paulo. Mais duas testemunhas devem ser ouvidas na tarde de hoje (13).

O delegado não divulgou o nome do suspeito, mas garantiu que várias equipes estão em diligência para localizá-lo. O suspeito teria 20 anos e uma rixa antiga com Raycá. “Já estamos pedindo junto ao judiciário a prisão desse suspeito”, disse. A Polícia Civil não soube informar se o autor do crime e a vítima têm passagens pela polícia.

LEIA MAIS: Defesa para policiais questionados em serviço é sancionada em lei

Assassinato

Raycá Fernandes Albino foi morto com um tiro no rosto e outro no braço, na madrugada de domingo (12), na boate Play Music Hall, no Jardim Planalto, em Goiânia, durante uma festa promovida por uma famosa academia da capital. O autor dos disparos escapou após o crime.

A Play Music Hall se isentou de qualquer responsabilidade pelo homicídio, afirmando que a academia escolheu usar uma própria equipe de segurança. “Contamos com uma equipe de segurança totalmente qualificada e temos como política principal a proibição do acesso de pessoas portando qualquer tipo de armas,” disse um representante da boate em nota.

Comentários do Facebook