PC apresentou dupla suspeita da morte de Danilo Silva no dia 31 de julho | Foto: Reprodução
PC apresentou dupla suspeita da morte de Danilo Silva no dia 31 de julho | Foto: Reprodução

A investigação da Polícia Civil ainda não está convicta da participação do padrasto de Danilo Silva na morte do menino.

Cinco dias após ser encontrado o corpo da vítima, a Força Tarefa da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH) prendeu Reginaldo Lima Santos em flagrante.

Além dele também foi detido o servente de pedreiro Hian Alves de Oliveira.

Os dois foram apontados pela PC como suspeitos de ocultação de cadáver em conexão com homicídio qualificado.

Já a motivação apontada pela investigação, à época da prisão, foi “vingança em razão de suposto mal comportamento da criança”.

Ligação

Porém, uma semana depois da apresentação dos investigados, a Força Tarefa ainda não conseguiu apontar precisamente a ligação de Reginaldo com o crime.

Ao ser levado à delegacia, ele negou ter participado do homicídio e ainda afirmou ser vítima de uma “armação”.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Folha Z (@folhaz) em

Foi a confissão de Hian de Oliveira que apontou o padrasto como mandante do crime.

Na 4ª feira (5), uma nota da Polícia Civil revelou que os agentes ainda trabalhavam com 3 linhas de investigação para o caso.

O texto ainda destacou que, “até a conclusão do inquérito policial, não há como formar nenhum juízo de certeza quanto à participação ou não dos envolvidos”.

Reprodução simulada

Na tarde dessa 5ª feira (6), foi realizada a reprodução simulada dos fatos no local onde o corpo de Danilo foi encontrado, a Avenida Seringueira, no Parque Santa Rita.

Reconstituição do Caso Danilo foi realizada na tarde de 5ª feira (6) | Foto: Reprodução
Reconstituição do Caso Danilo foi realizada na tarde de 5ª feira (6) | Foto: Reprodução

Os trabalhos foram conduzidos por 40 policiais civis – 30 da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), 10 da Coordenadoria de Operações Especiais (CORE/GT3, grupo tático da Polícia Civil) -, além de 10 policiais da Força Nacional e cinco peritos do Instituto de Criminalística (IC).

A reconstituição, que estava prevista para levar até 6h, durou apenas cerca de 2h e contou com a participação da mãe da criança, além do padrasto.

Hian, porém, exerceu o direito de não produzir provas contra si mesmo e, a pedido da sua defesa, permaneceu dentro de uma viatura.

Duas testemunhas, cujas identidades são mantidas em sigilo, ajudaram os policiais a reconstruírem a dinâmica dos acontecimentos.

Foram levados para análise em laboratório vários objetos encontrados na mata, próximo ao local onde foi identificado o corpo do menino Danilo Silva | Fotos: Divulgação/PC-GO
Foram levados para análise em laboratório vários objetos encontrados na mata, próximo ao local onde foi identificado o corpo do menino Danilo Silva | Fotos: Divulgação/PC-GO

Conclusão do inquérito

De acordo com a PC, “a diligência transcorreu dentro da normalidade”, apesar da “opção circunstancial do suspeito Hian Alves de permanecer em silêncio”.

A partir de agora, o órgão afirmou que não se manifestará nos próximos dias, nos quais as conclusões dos peritos serão confrontadas com as provas.

A previsão é de que o inquérito seja concluído na próxima 2ª feira (10), quando devem ser apresentados os detalhes do caso.

Confira a íntegra da nota:

“A Polícia Civil de Goiás informa que a reprodução simulada dos fatos, inerente ao Caso Danilo, foi realizada com sucesso na tarde de hoje (quinta-feira, 06). A diligência transcorreu dentro da normalidade, em que pese a opção circunstancial do suspeito Hian Alves de permanecer em silêncio.

A PCGO não se manifestará, nos próximos dias, para que todas as conclusões dos doutos peritos possam ser confrontadas com as provas e elementos informativos produzidos. Nesta esteira, todos os detalhes do caso serão apresentados quando da conclusão do inquérito policial, o que deverá ocorrer na segunda-feira (10).

A Delegacia Estadual de Investigações Homicídios (DIH) agradece o apoio diuturno recebido pelos peritos, médico legistas e auxiliares que tanto se dedicaram para o sucesso desta importante diligência.”

CONTINUE LENDO 👉 DIH ainda tem 3 linhas de investigação para o Caso Danilo


Acompanhe tudo que acontece em Goiânia seguindo a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook