Investigações sobre queda de avião de Eduardo Campos apontam falha humana

Avião Cessna caiu em Santos, no dia 13 de agosto de 2014
Avião Cessna caiu em Santos, no dia 13 de agosto de 2014

As investigações da Aeronáutica sobre o acidente que matou o então candidato a presidente da República, Eduardo Campos, concluíram que a causa da queda da aeronave foi uma sequência de falhas do piloto Marcos Martins.

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) listou uma sequência de falhas de Marcos Martins durante o voo. De acordo com os investigadores, o piloto não estava treinado para pilotar o Cessna 560 XL, uma aeronave considerada sofisticada e nova.

Desorientação espacial

publicidade

Marcos Martins foi obrigado a abortar o pouso e arremeter, e nesse momento sofreu o que é descrito como “desorientação espacial”, que é quando o piloto perde a referência do avião em relação ao solo, e não sabe se está voando para cima, para baixo ou em posição normal.

Os investigadores chegaram a essa conclusão de “desorientação espacial” baseados em informações sobre os últimos segundos do voo. A forte chuva que caía no momento do acidente colaborou para essa desorientação. Não foi encontrado nenhum indício de falha técnica.

Acidente

O acidente ocorreu na manhã de 13 de agosto de 2014. A aeronave caiu em Santos, no bairro Boqueirão. Além de Eduardo Campos, morreram quatro assessores do político, o piloto e o copiloto.