Jataí: acidentes e destinos – JOGO LIMPO com Rodrigo Czepak

Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

Dupla Jataí e Avaré, acidente na BR-158 e senador dissidente do PMDB (Foto: Montagem)
Dupla Avaré e Jataí, acidente na BR-158 e senador dissidente do PMDB (Foto: Montagem)

Jataí: acidentes e destinos

Um acidente de grandes proporções ocorreu na BR-158, entre Jataí e Caiapônia. Outro acidente, doméstico, aconteceu em Goiânia. No primeiro caso, de repercussão nacional, o motorista perdeu o controle da direção e a caminhonete capotou várias vezes. Arremessado para fora do veículo, o passageiro sofreu fraturas graves, porém conseguiu sobreviver, milagrosamente. Mesmo com ferimentos, final feliz para um caso surpreendente.

Queda simples, lesão grave

Já na capital a situação é inversa. O cantor Jataí, da dupla com Avaré, caiu da escada em sua residência e sofreu séria lesão na cabeça. Encontra-se internado no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) e seu estado de saúde é grave. Naturais de Nanuque (MG), Avaré e Jataí formaram a dupla na década de 1980 e a especialidade é música de raiz, a legítima canção caipira. Muitos fãs se revezam em orações para que Jataí também consiga virar o jogo.

LEIA MAISVídeo mostra passageiro que voa para fora de caminhonete que capotou em Jataí

Pisando em ovos

Tem aumentado gradativamente a expectativa sobre a abertura da caixa preta da gestão compartilhada entre o Governo de Goiás e as Organizações Sociais nas unidades de saúde. O exemplo do Rio de Janeiro, onde proliferam escândalos de desvio de recursos e superfaturamento de material, serviu para aumentar a curiosidade sobre os termos de execução dos contratos. Paralelamente, Secretaria de Saúde e OS’s estão limitando o repasse de informações à imprensa. Ninguém quer saber de polêmica.

Mosquito é transmissor de dengue, zika e chikungunya (Foto: Reprodução)
Mosquito é transmissor de dengue, zika e chikungunya (Foto: Reprodução)

Sucessão de erros

Para não perder o hábito, mais três exemplos do quanto a reeleição dos gestores é nociva para os interesses da sociedade nas três esferas de poder:

1-      De olho gordo na recriação da CPMF, governo federal projeta vender áreas e prédios públicos para tentar minimizar o déficit financeiro;

2-      Com discurso de “erradicar o mosquito Aedes aegypti”, governo estadual atrasa mais de 10 repasses de recursos aos municípios ameaçados pela dengue;

3-      Nem 5% do lixo produzido em Goiânia é reciclado pela administração municipal, algo incompatível com o esgotamento do aterro sanitário e o crescimento populacional.

Tragédia à vista

O senador Ricardo Ferraço (ES) deixou o PMDB na última sexta-feira com uma frase emblemática sobre a divisão interna do partido: “O que interessa ao PMDB é ficar agarrado ao aparelho, mantendo a atual marcha da insensatez. O partido está construindo a sua tragédia. Como o PMDB não muda, mudo eu”.

Ser ou não ser

Traduzindo o desabafo de Ricardo Ferraço em miúdos: o PMDB acredita que a dubiedade e o oportunismo vão lhe garantir o protagonismo eterno no Congresso Nacional e a influência decisiva em qualquer governo. Surrada ao extremo, a estratégia peemedebista dá sinais de esgotamento.

Comentários do Facebook