Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

Murilo Ulhoa
Murilo Ulhoa, novo presidente da CMTC (Foto: Reprodução Facebook)

Contagem regressiva

Quase 30 dias de especulações e a única novidade na dança de cadeiras no Paço Municipal foi a escolha do peemedebista Murilo Ulhoa para a presidência da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC). Os demais nomes são conhecidos, mantêm vínculos com a atual gestão e representam meras adequações após a reforma administrativa aprovada na Câmara Municipal. Um ano é o tempo disponível para a nova equipe do prefeito Paulo Garcia mostrar resultado e tentar reverter a rejeição impregnada no governo.

Lúcia, o enigma

A goiana Lúcia Vânia (PSDB) é o nome do momento nas rodas políticas do Senado da República. Ela já havia costurado a sua filiação com a direção nacional do PSB, mas nos últimos dias vem sofrendo assédio para permanecer no seu partido e até mesmo manifestações de interesse por parte do PMDB. O senador Eunício Oliveira e o vice presidente Michel Temer conversaram reservadamente com Lúcia Vânia, parlamentar que goza de muito prestígio entre os colegas.

Palavras ao vento

Contaminados pelo declínio retumbante de Joseph Blatter na presidência da Fifa, estrelas do futebol brasileiro ligaram o microfone sem acionar o cérebro.

Zico – “Quero me candidatar e garanto que estou preparado para comandar a Fifa”

Ronaldo – “Marco Polo Del Nero também poderia renunciar à presidência da CBF”

Romário – “A corrupção na CBF ultrapassou todos os limites toleráveis”

Parreira – “Momento é delicado e requer ampla investigação sobre os fatos”

Pelé – “Futebol precisa de pessoas honestas. Não tenho conhecimento sobre denúncias”

Todos, rigorosamente todos, já mamaram nas tetas da Fifa e da CBF.

Homofobia é um dos temas mundialmente mais discutidos (Foto: Ilustração)
Homofobia é um dos temas mundialmente mais discutidos (Foto: Ilustração)

Cena urbana

Se você é mulher e ainda cultiva aquele típico hábito do interior de andar de mãos dadas com a mãe, irmã ou prima pelas calçadas de Goiânia, cuidado! A combinação de intolerância com homofobia por pouco não causou sérios problemas para a diarista Selma (nome fictício), 33 anos, na manhã de hoje. Ela caminhava com a filha M, 17 anos, no setor Marista quando um grupo de estudantes começou a agredi-las verbalmente, acreditando que seriam namoradas.

Indignação

Assustadas, as duas se identificaram e evitaram algo pior. Apenas um dos cinco alunos reconheceu o erro e pediu desculpas, enquanto os demais saíram correndo aos gritos e gargalhadas. Selma foi orientada por pedestres a procurar uma delegacia para registrar boletim de ocorrência, entretanto preferiu não confrontar os estudantes, todos menores de idade e com poder financeiro considerável. “Ouvi um monte de bobagem apenas por demonstrar carinho à minha filha”, desabafou a mãe revoltada.

Mundo real

E por falar em intolerância e homofobia, a propaganda de “O Boticário” para o Dia dos Namorados é cirúrgica nas doses de sutileza e sensibilidade. Não foi idealizada para chocar, mas sim para refletir sobre todos os tipos de relacionamento presentes na sociedade. Ser contra apologia ao homossexualismo é uma coisa, ignorar ou fazer pouco caso da sua existência é bem diferente. Amor ao próximo antes de tudo. Principalmente antes das trocas de ofensas nas redes sociais.

Comentários do Facebook