Me engana que eu (não) gosto

Jogo Limpo com Rodrigo Czepak

(FOTO: REPRODUÇÃO/SIGA MARCONI)
O governador Marconi Perillo esteve nesta quinta-feira, 4, no interior do Paraná, onde visitou a indústria Sierra Móveis, considerada a maior em madeira maciça da América Latina. De acordo com a assessoria de Perillo, Luiz André Tissot, presidente da indústria, externou o desejo de instalar uma unidade da Sierra Móveis em Itumbiara, para fabricação de portas e janelas / Foto: Governo de Goiás

O script é sempre o mesmo

O governador Marconi Perillo, cansado da guerra pública, anuncia viagem ao exterior e antes do embarque uma fábrica decide se instalar em Goiás com investimentos vultosos. A imprensa oficial faz o barulho de sempre e praticamente nada é levado adiante.

A verdade é que Marconi Perillo precisa dar uma satisfação aos goianos pelas infindáveis viagens ao exterior com resultados pífios. Nesse carnaval ele ainda se vê “obrigado” a prestigiar o amigo Zezé di Camargo no Sambódromo do Rio de Janeiro para somente depois seguir para o outro lado do mundo.

Motivos para sumir do mapa

O governador tem motivos para sumir do mapa por alguns dias – apesar da mídia insistir na divulgação de uma agenda fictícia. O aperto financeiro, os buracos nas estradas, as obras paralisadas e as constantes críticas dos servidores e dos empresários são bons exemplos.

Marconi não vai na esquina sem uma grande justificativa pública para “defender os interesses de Goiás, modelo de desenvolvimento para o país”. O duro é que ele  acredita na própria ladainha. E os assessores se esforçam para dar consistência aos passeios pelos países mais desenvolvidos do planeta.

Enquanto isso o Fórum Empresarial de Goiás segue lamentando o cancelamento de uma parte dos incentivos fiscais. E o funcionalismo estadual tenta equilibrar as finanças diante da instabilidade financeira do governo. Qualquer anúncio fora desse contexto é conversa pra boi dormir.

Comentários do Facebook