Médica que mandou cortar o pênis do noivo é proibida de trabalhar

Myriam ficou foragida durante 12 anos (Foto: Reprodução)
Myriam ficou foragida durante 12 anos (Foto: Reprodução)

A médica Myriam Priscila de Rezende Castro, cumprindo pena de seis anos por ter mandado cortar o pênis do ex-noivo em Minas Gerais, foi proibida de trabalhar fora da prisão. Ela havia conseguido um emprego na Prefeitura de Ibirité para atuar no Programa de Saúde da Família.

O juiz Marcelo Pereira, na decisão, relatou que a médica de 34 anos tentou “ludibriar a Justiça”. Isso porque ela teria sido demitida do primeiro emprego e, desde então, estava apenas “procurando outra vaga”.

 

Relembre o caso

Em 2002, o ex-noivo de Myriam terminou o relacionamento dos dois a apenas três dias do casamento. Indignada, a médica, então com 22 anos, pagou dois homens para amputar o órgão sexual do rapaz. Além disso, o carro e a casa do ex foram incendiados.

Os criminosos confessaram atuar a mando de Myriam, mas ela ficou foragida até o ano passado, quando foi presa no interior de São Paulo.

Comentários do Facebook