Mohammed d’Ali morre na cadeia

Mohamed d'Ali Carvalho dos Santos morreu aos 25 anos (Foto: Reprodução)
Mohammed d’Ali Carvalho dos Santos morreu aos 25 anos (Foto: Reprodução)

Condenado a de 21 anos de prisão pela morte e o esquartejamento da inglesa Cara Marie Burke em 2008, Mohammed d’Ali Carvalho dos Santos foi encontrado em estado moribundo na manhã desta quinta-feira (11) na cela que habitava na Ala A da Penitenciária Odenir Guimarães (POG), no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

Depois de agonizar por um tempo, Mohammed morreu por volta das 9h. Segundo a POG, ele se sentiu um mal estar e foi logo atendido pelo serviço de saúde da penitenciária.

Em nota, a direção da POG informou que foi instaurada sindicância que vai apurar a causa da morte do preso. A investigação do caso está a cargo da Polícia Civil, segundo a nota.

Estima-se que o mais provável motivo da morte tenha sido uma overdose. No entanto, a assessoria da penitenciária não confirma essa informação.

LEIA MAIS: Três policiais são mortos em menos de duas semanas em Goiás

A teoria é baseada em um pedido da defesa do homicida que, em 2012, solicitou redução da pena alegando dependência química e que o crime havia sido praticado porque o então acusado sofreria de transtorno misto de personalidade.

O caso

Mohammed d’Ali Carvalho dos Santos, então com 20 anos, ficou conhecido por matar a inglesa Cara Marie Burke, de 17, em julho de 2008. Ela foi morta a facadas e teve o corpo esquartejado. O tronco foi colocado em uma mala de viagem e jogado às margens do Rio Meia Ponte, em Goiânia. Cabeça, braços e pernas foram colocados em outra mala e jogados no Córrego Sozinha, que fica entre os municípios de Leopoldo de Bulhões e Bela Vista de Goiás, na Região Metropolitana

Comentários do Facebook