Moradores de rua e comerciantes pedem socorro na Praça Santos, no Jardim América

Morador de rua dorme durante a tarde (Foto: Guilherme Coelho)
Morador de rua dorme durante a tarde (Foto: Guilherme Coelho)

Omissão do poder público. Esse é o retrato da Praça Santos, localizada na Avenida C-205, no Jardim América, em Goiânia.

Tomada por um grupo de moradores de rua, o local perdeu a finalidade principal: lazer e convivência. Em uma área cercada por prédios residenciais e com um forte comércio, a praça é habitada, dia e noite, por usuários de drogas e pessoas consumindo bebida alcoólica.

Álcool e drogas

Empresários da região afirmam que não há roubos, nem furtos no local, mas garantem que brigas e o consumo excessivo de drogas e álcool são constantes.

A única reclamação dos comerciantes está quando anoitece. O vendedor Wesley Antony esclarece. “As pessoas tem medo de atravessar a praça à noite”, ressalta.

Moradores de rua conversam com os repórteres Pedro Paulo e Marco Faleiro (Foto: Guilherme Coelho)
Moradores de rua conversam com os repórteres Pedro Paulo e Marco Faleiro (Foto: Guilherme Coelho)

A cobrança maior é sobre o poder público e a falta de policiamento. “A polícia vem de vez em quando, para, revista todo mundo e vai embora. Em seguida, tudo volta como antes”, garante um comerciante que não quis se identificar. “O tráfico é forte. Todo hora chega um motoqueiro entregando drogas para eles”, pontua.

Longe de casa

Um dos moradores de rua, identificado apenas como Rodrigo, afirmou que está no local há três anos. Ele garantiu que não volta para casa com medo de dar trabalho à mãe, pois é usuário.

Rodrigo, que é pai de quatro filhos, mostra vontade de mudar de vida. “Quero sair daqui, me tratar”, frisa.

A equipe do Jornal Folha Z entrou em contato com a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) sobre a situação dos moradores de rua. No dia seguinte, houve uma resposta.

Nota:

Acionada após contato, a equipe noturna esteve na  Praça Santos – Jardim América, em 16/09/2015.

Foram abordados 04 homens adultos.

Eles estavam supostamente sob uso de substâncias ilícitas e agitados, impossibilitando maior contato. Contudo, solicitaram encaminhamento para comunidade terapêutica.

A Equipe diurna retornará ao local para dar seguimento ao solicitado, objetivando atender as necessidades emergenciais identificadas e criação de vínculos para outros encaminhamentos.

E incluirá o local nas rotas de abordagem.

Comentários do Facebook