Motorista de van é suspeito de estuprar menina de 5 anos em Trindade

Avó dava banho na menina quando esta reclamou de dores nas partes íntimas. Suspeito nega que tenha praticado o crime

Delegacia de Trindade | Foto: Divulgação / PC
Delegacia de Trindade | Foto: Divulgação / PC

Um motorista de van escolar é suspeito de estuprar uma menina de 5 anos em Trindade, na Grande Goiânia.

De acordo com Polícia Civil, a criança relatou o caso à família, que procurou a delegacia.

Responsável pela investigação, a delegada Renata Vieira Freitas, a suspeita é de que o crime teria sido cometido por 3 vezes.

A última delas, inclusive, teria ocorrido no dia 13 de agosto.

O homem, porém, nega as acusações.

Avó

Ao portal “G1”, a delegada contou que foi a avó da criança quem primeiro desconfiou do caso.

Segundo ela, a avó dava banho na menina quando esta reclamou de dores nas partes íntimas.

A criança ainda falou que o motorista da van teria feito “cócegas” nela.

Preocupada, a avó levou a neta ao posto de saúde e médicos constataram um edema no seu órgão sexual.

Imediatamente, o Conselho Tutelar e a Polícia Militar foram acionados e levaram a mulher até a delegacia para registrar a ocorrência.

A delegada ainda solicitou que o relato da criança fosse ouvido por uma psicóloga especialista em menores vítimas de violência sexual.

Em seu relato, a menina aponta que o suspeito a levou sozinha em seu próprio carro no dia do abuso.

Suspeito nega

Liberado após ser ouvido nessa quarta, 21, o motorista da van negou que tenha praticado os crimes.

Ele afirmou que há 2 anos faz o transporte da criança e que nunca teve problemas parecidos.

O homem, porém, confirmou que usou seu veículo particular no dia citado pois a van estava em conserto.

“Ele disse que pegou outras duas crianças antes e que em momento algum permaneceu sozinho com a criança no veículo”, disse a delegada em entrevista.

Agora, a investigação buscará as outras 2 crianças para apurar o que ocorreu naquele dia.

Aparecida terá sistema de vigilância que identifica sangue e corpos na rua


Acompanhe o Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook