Motorista é preso suspeito de atropelar e arrastar pedestre por 1 km em Aparecida

A caminhonete só parou após um condutor bloquear o percurso do veículo

Condutor da caminhonete S10 havia ingerido bebida alcoólica, diz a PM | Foto: reprodução TV Anhanguera
Condutor da caminhonete S10 havia ingerido bebida alcoólica, diz a PM | Foto: reprodução TV Anhanguera

Avenida J2, no Papilon Park, foi palco de um tragédia na noite desta sexta-feira, 15.

O setor fica em Aparecida de Goiânia.

Segundo a Polícia Militar (PM), um homem de 53 anos, que estava em caminhonete S10 prata, é suspeito de matar atropelado um pedestre.

O acidente aconteceu por volta das 21 horas.

Ainda de acordo com a PM, o motorista estava embriagado e arrastou a vítima por cerca de 1 quilômetro.

Buzinaço

Em entrevista a uma emissora de TV, o sargento Alessadro Uelisclei relatou que vários motoristas buzinaram sinalizando para que o condutor da caminhonete S10 parasse o veículo.

A caminhonete só parou após um condutor bloquear o percurso da S10.

“Caso o bloqueio não fosse feito, a caminhonete continuaria arrastando a vítima”, relatou uma testemunha, que pediu para não ser identificada.

Caminhonete atropela pedestre mata Papilon Park
Segundo a PM, essa é a caminhonete que atropelou e matou o pedestre no Papilon Park, em Aparecida | Foto: reprodução TV Anhanguera

A PM informou que a caminhonete foi interceptada quando se aproximava da trincheira que cruza o Anel Viário, no Veiga Jardim.

O socorro foi acionado e chegou rapidamente.

A vítima foi socorrida com vida e transportada para o Hospital de Urgências de Aparecida de Goiânia (Huapa).

Ela morreu a caminho da unidade de saúde.

Teste de embriaguez 

A PM conduziu o condutor da caminhonete S10 para a delegacia. Ele realizou o teste do bafômetro que constatou embriaguez.

O motorista da caminhonete afirmou aos policiais militares que não sabia que a vítima estava presa ao veículo.

A Polícia Civil apura o caso.


Acompanhe o Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook