MP quer prorrogar prisões da SOS Samu. Veja nomes dos envolvidos

SOS Samu
24 mandados de prisão foram expedidos para quem está envolvido na Operação SOS Samu (Foto: Reprodução)

O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) entrou nesta sexta-feira (24/6), no Fórum de Goiânia, com pedido de prorrogação da prisão temporária dos 17 investigados pela Operação SOS Samu.

Inicialmente, o mandado de prisão temporária para 24 investigados era de cinco dias. Desde que foi deflagrada a operação na última terça-feira (21/6), duas pessoas ainda não se apresentaram e continuam foragidas. Prazo da primeira prisão temporária vence neste sábado (25/6).

A Operação SOS Samu desvendou esquema criminoso envolvendo empresários de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) particulares e socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Goiânia. Os funcionários recebiam propinas para que encaminhassem pacientes com planos de saúde para as UTIs dos empresários.

Lista dos investigados

Confira os nomes dos investigados que tiveram mandados de prisão expedidos na última terça-feira (21/6):

Relton Salmo Carneiro – sargento do Corpo de Bombeiros
Carlos Henrique Duarte Bahia – médico diretor do Samu

Maurício Batista Leitão – médico
Rafael Haddad – médico
Rodrigo Teixeira Cleto – médico
Waler José de Campos Reis – médico

Wassy Carlos Ferreira – socorrista
Bartolomeu Crispim Monteiro – socorrista
Diego Freitas Fernandes – socorrista
Joelson Machado da Silva – socorrista
Júnior Marques dos Santos – socorrista
Luiz Sandro Alves de Souza – socorrista
Rogério Cassiano – socorrista
Wemerson Pereira Maloca – socorrista
Ítalo Glenio Morais – socorrista

Rafael Antunes Filho – enfermeiro
Osvaldo José de Oliveira Filho – técnico em Enfermagem
Manoel da Silva Melo – técnico em Enfermagem
André Alves dos Santos – técnico em Enfermagem
Stenio Júnior da Silva – técnico em Enfermagem
Wellington José do Egito – técnico em Enfermagem

Edison da Conceição Filgueiras Júnior – não identificado
Emerson Pereira da Mata – não identificado
João Batista Gomes – não identificado

Comentários do Facebook