Norte-coreanos devoram os próprios filhos devido à grave crise de fome no país

O governo norte-coreano até o momento conseguiu evitar que a crise humanitária fosse amplamente conhecida no exterior
O governo norte-coreano até o momento conseguiu evitar que a crise humanitária fosse amplamente conhecida no exterior

Relatos aterrorizantes de norte-coreanos devorando os próprios filhos para saciar a fome foram reportados recentemente pela mídia internacional. As informações expõem o possível desastre humanitário pelo qual o país oriental está silenciosamente passando.

A agência de notícias Asia Press, com sede em Osaka, no Japão, informou que jornalistas estão secretamente infiltrados na Coreia do Norte. Estes profissionais relataram que um homem foi recentemente fuzilado no país por ter matado e devorado os dois filhos, no que foi descrito como um “ataque de fome”.

Ditadura Norte-coreana

publicidade

Outras histórias similares foram descritas pelos jornalistas infiltrados na ditadura norte-coreana. Em um dos casos, um senhor desenterrou o próprio neto, e canibalizou o corpo da criança para não morrer de fome. Uma terceira pessoa foi flagrada fervendo o filho para se alimentar. Tais histórias foram produzidas por uma das piores crises de fome que a Coreia do Norte já vivenciou.

De acordo com o jornal britânico The Sunday Times, acredita-se que 10 mil pessoas morreram em razão da escassez de alimentos na Coreia do Norte nos últimos tempos. O governo norte-coreano até o momento conseguiu evitar que a crise humanitária fosse conhecida no exterior. Mas os repórteres da Asia Press no país conseguiram testemunhar a drástica situação.

Canibalismo

A agência de notícias asiática compilou um relatório de doze páginas com os relatos de canibalismo no país. Um membro da empresa comentou a situação norte-coreana.

— É particularmente chocante os numerosos testemunhos que nos atingem sobre os casos de canibalismo.

Os repórteres disfarçados disseram que a comida foi confiscada em duas Províncias e entregue aos moradores da capital de Pyongyang, agravando a situação no interior do país.

 

(Do portal R7)