Allan Pereira dos Reis ficou preso por 4 dias e confessou o assassinato de uma gerente de supermercado Fernanda de Souza Silva, 33, em Bela Vista | Foto: Reprodução
Allan Pereira dos Reis ficou preso por 4 dias e confessou o assassinato de uma gerente de supermercado Fernanda de Souza Silva, 33, em Bela Vista | Foto: Reprodução

A Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Ordem dos Advogados do Brasil em Goiás (OAB-GO) pediu informações sobre a investigação das circunstâncias da morte de Allan Pereira dos Reis.

O jovem de 22 anos ficou preso por 4 dias e confessou o assassinato de uma gerente de supermercado Fernanda de Souza Silva, 33, em Bela Vista de Goiás.

Na manhã do último sábado (22), Allan foi encontrado morto dentro de uma cela do Núcleo de Custódia do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

Agora, portaria da OAB assinada pelo presidente da CDH, Roberto Serra da Silva Maia, solicita que a OAB seja informada sobre do andamento das investigações da morte do detento.

As informações devem ser prestadas pelo Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) de Aparecida, pela Superintendência de Segurança Penitenciária (Susepe) da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) e pela Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO).

O documento ainda solicita que o Grupo Especial do Controle Externo da Atividade Policial (GCEAP), a 25ª Promotoria de Justiça e o CAO dos Direitos Humanos do MPGO promovam o acompanhamento das apurações.

Comissão

A Comissão de Direitos Humanos já acompanhava a investigação da morte de Fernanda de Souza Silva.

Porém, conforme apontou a portaria do órgão, o Estado também tem o dever de zelar pela integridade física e moral do preso sob sua custódia.

“A morte ocorrida dentro do Sistema Prisional, deve ser rigorosamente apurada pelos órgãos competentes”, afirmou Roberto Serra.

Suspeito de matar gerente é encontrado morto em cela


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook