Polícia goiana apresenta suspeito de esquartejar usuário de droga em 2015

Delegacia de Investigações de Homicídios (DIH) apresentou Denes Muriel Xavier, suspeito de matar, esquartejar e colocar fogo no pedreiro Antônio de Carvalho Silva

Denes, que vive em situação de rua, está detido com mandado de prisão temporária e pode cumprir pena de 12 a 30 anos pelo crime de homicídio qualificado / Foto: Jota Eurípedes
Denes está detido e pode cumprir pena 30 anos pelo crime de homicídio qualificado / Foto: Jota Eurípedes

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Investigações de Homicídios (DIH), apresentou , Denes Muriel Xavier, de 28 anos, suspeito de matar, esquartejar e colocar fogo no pedreiro Antônio de Carvalho Silva, de 38 anos. O crime ocorreu em 27 de julho de 2015 no Setor Residencial Serra Azul, em Goiânia.

De acordo com o delegado Thiago Martiniano, responsável pelas investigações, o suspeito confessou o crime e alegou que a vítima havia “xavecado” sua irmã. Denes ainda relata que já tinha outras desavenças com Antônio por ele ter furtado algumas porções de drogas. “Ele diz que a vítima chamou sua irmã de ‘gostosa’ e isso foi o estopim para planejar esse crime brutal”, explicou o delegado.

Thiago Martiniano afirma que uma característica física do autor ajudou a encontrá-lo. “Ele não tem parte de uma orelha e algumas testemunhas viram esta pessoa e conseguimos identificá-lo”, disse.

Denes foi encontrado na Casa do Albergado Guimarães Natal, em Goiânia. Ele cumpria pena por tráfico de drogas no regime semiaberto. O local abriga reeducandos do sistema penitenciário.

DELEGADO01
“O crime foi premeditado e de modo cruel”, explicou o delegado Martiniano / Foto: Jota Eurípedes

Crime planejado

Ainda segundo o delegado Thiago, o crime caracterizado bárbaro não teve motivação e foi planejado.

“O crime foi premeditado e de modo cruel”, explicou o delegado ao dizer que no dia do homicídio, Denes convidou o pedreiro para usar drogas na casa da vítima. Lá ele o esfaqueou, esquartejou e levou parte do corpo para as margens do Ribeirão Anicuns onde havia deixado um galão com gasolina e ateou fogo na vítima.

Denes, que vive em situação de rua, está detido com mandado de prisão temporária e pode cumprir pena de 12 a 30 anos pelo crime de homicídio qualificado.

Comentários do Facebook