Comércios de Goiás são denunciados por preço abusivo de tijolos e outros materiais

Procon-GO notificou mais de 50 empresas por abusos durante a pandemia da covid-19 em Aparecida, Goiânia e outras cidades goianas

Procon materiais construção
Procon fiscaliza denúncia de aumento dos preços de materiais de construção | Foto: Divulgação/Procon

O Procon-GO notificou mais de 50 empresas por preços abusivos durante a pandemia da covid-19 em Aparecida, Goiânia e outras cidades goianas.

A operação, chamada de “Construção Justa”, foi iniciada no fim do mês de julho.

A ação de fiscalização foi iniciada após denúncias de consumidores que notaram preços muitos elevados em produtos como tijolos, telhas, cimento e outros.

Agora, as pessoas jurídicas notificadas deverão apresentar notas fiscais de compra e venda dos materiais de construção civil apontados.

Segundo o Procon, a operação já percorreu as cidades de Aparecida de Goiânia, Anápolis, Campo Limpo de Goiás, Nerópolis e Goiânia.

Preços elevados

Além de lojas, foram notificados outros 10 estabelecimentos comerciais, sendo 5 olarias, 1 depósito e 4 cerâmicas.

Segundo o superintendente do Procon-GO, Allen Viana, ao final do prazo de 10 dias úteis, as empresas notificadas terão que apresentar documentação que justifique o aumento dos preços.

“Após a apresentação, diante da análise dos documentos, será possível comparar os valores praticados no período pré-pandemia e os praticados durante pandemia. Após esse processo, a  Superintendência tomará as devidas providências”, explicou.

Caso constatados abusos, as multas expedidas podem variar de R$ 652 a R$ 9,7 milhões, de acordo com o faturamento da empresa.

LEIA MAIS: Colisão em Goiânia deixa 3 feridos, 1 em estado grave


Acompanhe tudo que acontece em Goiânia seguindo a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook