Preso PM condenado por estupro de criança em Rio Verde

Defesa recorreu, mas pena de reclusão em regime fechado e perda da função pública foi confirmada pela 2ª instância

Condenado pelo estupro de uma criança de 10 anos em Rio Verde, o cabo da Polícia Militar Paulo Batista Mota foi preso na última segunda, 13 | Foto: Reprodução
Condenado pelo estupro de uma criança de 10 anos em Rio Verde, o cabo da Polícia Militar Paulo Batista Mota foi preso na última segunda, 13 | Foto: Reprodução

Condenado pelo estupro de uma criança de 10 anos em Rio Verde, um cabo da Polícia Militar foi preso na última segunda, 13.

Paulo Batista Mota, de 46 anos, recebeu sentença de 20 anos de reclusão em regime fechado.

Por meio de nota, a Polícia Militar de Goiás informou que prendeu o policial “assim que tomou conhecimento do fato” e que ele foi submetido a um Conselho Disciplinar que “decidiu pela exclusão dele dos quadros da instituição”.

“[A PM] reitera que não admite desvios de conduta de nenhum de seus membros e que todas as denúncias procedentes são rigorosamente apuradas na forma da lei.”

Cabo condenado por estupro recorreu em liberdade

De acordo com as investigações, o crime ocorreu há 8 anos, em 2012.

Em fevereiro de 2017, uma decisão em 1ª instância já condenou o cabo à pena de 20 anos de reclusão em regime fechado, mas com previsão de recurso em liberdade.

Sua defesa recorreu, mas a pena foi confirmada pela 2ª instância na 1ª Câmara Criminal do TJ-GO.

Com mandado de prisão expedido pelo Tribunal de Justiça de Goiás em 19 de dezembro de 2019, o policial ainda teve a perda da função pública decretada.

Para resguardar a vítima, o caso foi mantido em segredo de Justiça.

Condenado, Paulo Batista Mota já está detido no Batalhão Anhanguera, em Goiânia.

Idosa é espancada por adolescentes em Senador Canedo


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook