Ragnar, o Autista, e Peggy, a Heroína (“Vikings” e “Mad Men”) – Coluna de Seriados

Coluna de Seriados

"Vikings" vai para a quarta temporada no History Channel e "Mad Men" acaba este ano pela AMC
“Vikings” vai para a quarta temporada no History Channel e “Mad Men” acaba este ano pela AMC

“Vikings” (Com Spoilers)

O desfecho da terceira temporada de “Vikings” na quinta-feira passada (23/4) conseguiu abarcar tudo o que a série tem de mais empolgante. Entre os pontos altos esteve o autismo mesclado com perícia estratégica de Ragnar Lothbrok, que se fingiu de morto para todos, até para seu círculo interno de convivência (o que inclui o público), e enganou o imperador paspalhão.

Essa trama proporcionou momentos extremamente dramáticos e ao mesmo tempo cômicos, já que Floki, Rollo e Lagertha fazem delicadas confissões a um caixão que acreditavam vazio, mas que, na verdade, portava o debilitado e ambicioso rei nórdico.

Já no tema “traições e conspirações”, temos o fanático Floki, sempre perigoso, além do eterno golpista Kalf e do inconstante Rollo, que parece decidido a trocar o irmão por uma mistura de saciedade do orgulho e uma princesa a ser conquistada.

No fim, os vikings saqueiam Paris e voltam para suas terras com os bolsos cheios, à maneira da sua cultura, vivendo do fruto das suas pilhagens e em constante conflito. Muito parecidos com o povo das “Iron Islands” de “A Song of Ice and Fire”, não? Nada de coincidência: Martin não desaponta e bebe das fontes históricas para produzir boa ficção.

“Mad Men” s07e11 Time & Life

 “Mad Men” mais uma vez, sim. O final da série é uma sequência de excelentes episódios, nada de tramas mornas (coisa que pouco aconteceu durante todos os anos, é bom ressaltar). Belas cenas como a rodada de chope em que todos, numa talvez explícita mensagem, abandonam Don, primeiro no bar e depois quando ele vai à procura do seu mais recente interesse amoroso.

Depois, num momento de muita tensão, vemos Peggy falar pela primeira vez sobre o filho e descobrimos definitivamente que ela o entregou para a adoção.

“Ninguém deveria ter que cometer um erro como um homem faz e não poder seguir em frente. Ela deveria poder viver o resto da vida como um homem faz.”

Ps. Coca-cola nas mãos de Don Draper. Reflita.

Marco Faleiro é estudante de jornalismo e já tem mais de duas mil horas de seriados assistidos – marco.aurelio.faleiro@gmail.com

Comentários do Facebook