Setor Bueno ganha um dos centros de estética mais completos da capital

Profissionais de várias especialidades uniram vocações para inaugurar um espaço dedicado à saúde, beleza e bem-estar

De acordo com o dito popular, a beleza está nos olhos de quem vê. Mas se os padrões mudam de acordo com cada conceito, uma coisa não muda: todo mundo quer se sentir bonito. Desde a queima de sutiãs em Atlantic City até Angela Merkel, chefe de estado da Alemanha e, atualmente, a mulher mais poderosa do mundo pela Forbes, muita coisa mudou. As mulheres, hoje, mesmo preocupadas com a aparência, podem ser chefes de grandes empreendimentos, e homens já não têm receio de frequentar salões e clínicas de beleza.

Sexo e idade

Segundo a fisioterapeuta dermato-funcional, Nathália de Farias, cresceu o número de pessoas do sexo masculino que buscam tratamentos estéticos. “Os homens perderam a vergonha. Os valores mudaram muito e beleza, hoje, é tudo. É cartão de visita”. E para aqueles que se perguntam qual seria a idade ideal para procurar uma clínica, a médica dermatologista e esteticista, Letícia Andrade, diz não ter idade mínima para começar a tratar da pele.

“Pessoas com dezoito anos não precisam, por exemplo, de uma aplicação de toxina botulínica para fins estéticos, mas quem sabe para outros problemas. Algumas pessoas fazem para prevenir o surgimento das rugas”, conta a médica. “Aos vinte e cinco anos, o ser humano começa a envelhecer. Nessa idade é recomendada a primeira visita ao geriatra e ao dermatologista. Aí tratamentos para eliminar rugas já seriam indicados. Mas não existem regras”, explica.

De acordo com a fisioterapeuta dermato-funcional, Nathália de Farias, 90% dos resultados dependem dos próprios pacientes
De acordo com a fisioterapeuta dermato-funcional, Nathália de Farias, 90% dos resultados dependem dos próprios pacientes

Espaço Derma

Nathália e Letícia atendem clientes no Espaço Derma, um ambiente idealizado pelas duas amigas, que resolveram unir suas vocações. “A clínica nasceu de um sonho nosso. As profissões se complementavam, então tentamos unir um espaço onde homens e mulheres pudessem encontrar saúde, beleza e bem-estar”. No local, atendem, ainda, a dermatologista Tatiana Pontes e o educador físico Fábio Andrade.

Inaugurada no dia 5 de fevereiro, no edifício New World, na avenida T-63, o Espaço Derma já é sucesso de clientela e oferece terapias que variam  faixas de preços e tempo de duração para atender à todos os gostos. “Oferecemos várias facilidades e a vantagem é que tratamentos estéticos não superam o valor de uma cirurgia plástica”, diz Letícia.

Terapia x cirurgia

Além do custo, os tratamentos podem ter outra vantagem sobre os procedimentos cirúrgicos: são menos invasivos e há muitos tratamentos que não necessitam de medicação, o que pode evitar efeitos colaterais indesejados em alguns pacientes. “Algumas terapias possuem medicamentos. Em clientes da Nathália, apenas peelings químicos. Dependendo do tratamento, tenho que receitar corticóides”, explica a dermatologista. “Há procedimentos mais invasivos, mas nada comparado à cirurgia. São infiltrações de substâncias para melhorar flacidez, celulite, gordura corporal ou rejuvenescer a pele. A menos que tenha de ser feita a retirada de lesões ou câncer, não há cortes”, assegura Letícia.

Entretanto, a médica afirma que se o estágio do envelhecimento da pele ou de outro problema for muito avançado, não há como escapar do bisturi. “Rugas são facilmente removidas por meio da toxina botulínica e preenchimento. Se o grau de flacidez é muito grande, fazemos lasers, skin booster ou radiofrequência, mas talvez não dê o retorno que o paciente quer”, explica a médica. “Cirurgia plástica deve ser realizada apenas em último caso”, afirma.

Estrias e celulites

Para as mais preocupadas com celulites e estrias, o Espaço Derma oferece um leque de tratamentos eficazes na prevenção e combate aos maiores inimigos das mulheres. Carboxterapia, Power Shape, radiofrequência, iLipo, drenagem linfática e modeladora são algumas opções para melhorar o grau da celulite. “Temos ótimos equipamentos e recursos. Porém, 90% dos resultados vão depender da dedicação do cliente”, informa a fisioterapeuta. “Se ao deixar o tratamento, a pessoa não mudar a rotina de alimentação e atividade física, a celulite volta”, completa.

Em casos de estrias, Letícia conta que estrias brancas são as mais difíceis de eliminar. “Gostamos de unir terapias para obter melhoras em aspectos diferentes. Assim, é possível conseguir resultados mais eficazes. Em estrias brancas temos chances de obter de 80% a quase 100% de sucesso” , conta. “Gosto muito de radiofrequência ablativa. Ela melhora a produção de colágeno e elastina. A estria pode ocorrer pela ausência dessas fibras”, explica Letícia. “Também carboxterapia, a luz pulsada, intradermoterapia – introdução de ativos na pele que melhoram a coloração e a formação de colágeno e elastina. Muito vai depender do valor e do tempo disposto pelo cliente”, disse.

Comentários do Facebook