Epidemia de sífilis: secretaria municipal realiza ação de combate à doença

Secretaria Municipal realiza campanha de combate à sífilis | Foto: Divulgação
Secretaria Municipal realiza campanha de combate à sífilis | Foto: Divulgação

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia realiza uma ação educativa sobre sífilis, a fim de conscientizar a população sobre a doença. A abertura da campanha será na Capela São Judas Tadeu, no Jardim Guanabara I, das 8h às 10h. Na ocasião, serão realizadas rodas de conversa, palestras, distribuição de preservativos e brindes para as gestantes.

O Ministério da Saúde admitiu na semana passada que o Brasil enfrenta uma epidemia de sífilis. Entre junho de 2010 e 2016 foram notificados quase 230 mil casos novos da doença, de acordo com o último boletim epidemiológico do governo.

Segundo a diretora de Vigilância Epidemiológica, Juliana Brasiel, o diagnóstico e tratamento são disponibilizados em qualquer época do ano. “Essa ação busca incentivar a população a realizar o exame e aumentar a adesão ao tratamento”, explica.

Do ponto de vista da saúde pública, o principal problema da sífilis é a transmissão vertical (da mãe para o feto na gestação). “O foco da campanha são as gestantes com sífilis e seus parceiros sexuais por conta da sífilis congênita, que pode provocar aborto”, acrescentou Juliana Brasiel.

LEIA MAIS: UFG é ocupada por estudantes e trabalhadores contra cortes na educação

O evento conta com apoio do Distrito Sanitário Norte, Centro Saúde da Família Cachoeira Dourada e Centro Saúde da Família Guanabara I.

Sífilis

A sífilis é uma doença infecciosa de manifestações clínicas temporárias, com três fases (primária, secundária e terciária). Sua manifestação congênita acarreta malformações ósseas, surdez e problemas neurológicos, entre outros, para a criança.

Em Goiânia, o exame para diagnóstico de sífilis é oferecido gratuitamente a todas as gestantes durante o pré-natal, no 1º e 2º trimestre da gestação e no momento do parto, através do teste rápido, com o objetivo de garantir o diagnóstico e tratamento adequado.

 Acompanhe o Folha Z no Facebook, Instagram e Twitter

Comentários do Facebook