Aparecida de Goiânia: saúde adota sistema de pulseira para identificar pacientes com dengue

Com o objetivo de otimizar o atendimento dos pacientes diagnosticados com dengue em Aparecida de Goiânia, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) adotou a utilização de pulseiras brancas para identifica-los. O serviço de identificação diferenciada começou a funcionar na última quarta-feira, dia 18, e, segundo a coordenadora de Urgências da SMS, Hérica Leguizamon a utilização pulseira foi adotado devido ao aumento da demanda nesse último mês.

Aumento de 40%

“Tivemos um aumento de quase 40% na demanda de pacientes nas unidades de urgência e emergência de Aparecida de Goiânia. E a identificação com a pulseira ajudará a otimizar e até mesmo agilizar o atendimento. Assim, a pessoa que já foi diagnosticada com dengue não precisa passar por todo o processo de classificação de risco”, destaca a coordenadora.

Classificação de risco e pulseira

O novo sistema funcionará da seguinte maneira: o paciente que chega a unidade passa na recepção e segue para a classificação de risco. Ao apresentar os sintomas da dengue ele é encaminhado para fazer exame de hemograma. Depois deste processo ele recebe a notificação e tem o sangue coletado. O hemograma é entregue a enfermeira de classificação, que se necessário, com o resultado do exame, muda a classificação de risco. Após passar pelo médico e diagnosticado com a doença, ele recebe a pulseira branca.

Ao retornar a unidade para novos exames ou para tomar soro, o paciente que está com a pulseira não precisa passar pelos mesmos locais do início do tratamento. Ele faz um novo hemograma e é encaminhado para o médico que estará atendendo apenas pacientes diagnosticados com dengue. Este processo de classificação está sendo feito nas quatro unidades de saúde de urgência e emergência de Aparecida de Goiânia: Cais Nova Era, Cais Colina Azul, Cais Garavelo e a UPA no Brasicon.

Comentários do Facebook