Trabalhadores da Comurg vão para as ruas em carros particulares

Denúncia foi feita pelo presidente da Associação de Moradores da Praça da T-25, Jone Marcos. Ele elogiou trabalhadores da Comurg, que, “com pouca estrutura, tiram leite de pedra”

Presidente da Associação de Moradores da Praça T-25 e Adjacentes, Jone Marcos Costa (Foto: Associação)
Presidente da Associação de Moradores da Praça T-25 e
Adjacentes, Jone Marcos Costa (Foto: Associação)

A praça da T-25, no Setor Bueno, é considerada pela vizinhança e pelos visitantes como uma das mais bonitas e agradáveis da capital. Para o presidente da Associação de Moradores da Praça e Adjacentes, Jone Marcos Costa, a conservação do local é resultado de parceria entre residentes  o local e trabalhadores da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), que operam com estrutura precária.

Jone Marcos denunciou que os fiscais, muitas vezes, por falta de condução, carregam os trabalhadores até a praça em veículo próprio. Contudo, salientou que, mesmo com todas as dificuldades encontradas pelos trabalhadores da Comurg, eles têm realizado bom trabalho. “Quero registrar meu elogio aos funcionários da Comurg responsáveis pela conservação da Praça T-25. Com poucas condições de trabalho, tiram leite de pedra”, declarou Jone.

O presidente da associação ainda acredita que outras praças poderiam ser mantidas tão impecáveis quanto o da T-25. “O que nós fazemos é um trabalho de fiscalização: a Comurg limpa e nós garantimos que essa manutenção não seja destruída por vândalos. Além disso, são os recursos da associação que garantem a limpeza da fonte e outros detalhes”, afirmou.

Comurg

O Folha Z entrou em contato com a Comurg por três vezes, mas a companhia não comentou o caso do transporte de funcionários por meio da assessoria de comunicação. Este mês, o jornal “O Popular” denunciou que o ex-presidente da Comurg, Luciano de Castro, afastado por fraude em licitações, recebia R$ 11 mil do órgão sem trabalhar.

Comentários do Facebook