Transexual é esfaqueada em praça e sofre agressões no hospital

Transexual teve o socorro negado dentro de um hospital após ser esfaqueada em praça da cidade| Foto: Divulgação
Transexual teve o socorro negado dentro de um hospital após ser esfaqueada em praça da cidade| Foto: Divulgação

Uma transexual de 21 anos foi esfaqueada e teve o socorro negado dentro de um hospital na cidade de Maiquinique, no sul baiano, a cerca de 630 km de Salvador. O caso aconteceu na última segunda-feira, 17, foi filmado e o vídeo gerou revolta em internautas.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Irineu Alves Andrade, a vítima se envolveu em uma briga após ser hostilizada por ser transsexual e estar acompanhada de seu namorado em uma festa. Natylla Mota teria se separado do companheiro a fim de voltar para casa quando foi abordada por quatro pessoas e recebeu os golpes de faca.

Após a agressão, Natylla foi conduzida por um amigo ao Hospital Municipal de Maiquinique, porém não recebeu socorro e continuou a ser agredida dentro da unidade de saúde. “Houve uma demora injustificável na prestação de socorro e o porteiro do hospital não deveria ter deixado as agressões acontecerem”, explicou o delegado.

LEIA MAIS: Polícia desarticula esquema de corrupção em presídio de Aparecida de Goiânia

De acordo com a polícia, apenas três dos quatro agressores foram identificados. “Estamos trabalhando para identificar o quarto suspeito. Todas as quatro pessoas participaram ativamente das agressões”, disse. Após as agressões, Mota foi encaminhada para o Hospital Cristo Redentor, em Itapetinga, e recebeu alta na tarde desta segunda-feira.

Em sua conta no Facebook, a transexual pede por Justiça. “Deus, obrigada pela vida. Obrigada por ter me tirado da morte. Divulguem o caso para que esse marginais tenham o que merecem”, publicou.

Acompanhe o Folha Z no FacebookInstagramTwitter

Comentários do Facebook