Colégio Estadual Michelle Prado, no Jardim das Hortênsias, em Aparecida | Foto: Divulgação
Colégio Estadual Michelle Prado, no Jardim das Hortênsias, em Aparecida | Foto: Divulgação

Suspensas desde março, as aulas presenciais em escolas da rede pública de Goiás podem retornar a partir de agosto, mas com um sistema de rodízio de alunos.

De acordo com informações da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), o objetivo é a retomada gradual após o fim do prazo de suspensão determinado por uma nota técnica da Secretaria de Saúde: 31 de julho.

Porém, a data exata de retorno ainda não foi definida e dependerá dos números da pandemia do coronavírus no Estado.

Como vai funcionar a volta às aulas em Goiás

Técnicos da Educação traçaram um plano para dividir em pelo menos 4 cada turma de alunos da rede estadual.

Esses pequenos grupos teriam aulas presenciais de tempos em tempos, não todos os dias.

Nos dias em que ficarem em casa, os estudantes continuarão tendo aulas à distância.

Prioridades

De toda forma, a prioridade nas aulas presenciais será para os alunos que não têm acesso à internet em casa para participar de atividades remotas.

Eles retornarão primeiro e, depois, gradualmente, os outros estudantes serão reinseridos nas aulas presenciais de forma escalonada.

Em agosto, as primeiras atividades realizadas serão avaliações diagnósticas, para determinar qual foi o conteúdo de fato absorvido pelos estudantes por meio do ensino à distância.

Depois, em setembro, passa-se para a fase de “nivelamento” dos alunos.

E, por fim, o objetivo é concluir os conteúdos essenciais do 3º e 4º bimestres nos 3 meses restantes do ano.

Caixa divulga calendário do saque emergencial de R$ 1.045 do FGTS


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook