W Series será uma competição totalmente feminina e administrada pela Federação Internacional do Automobilismo (FIA) | Foto: Divulgação
W Series será uma competição totalmente feminina e administrada pela Federação Internacional do Automobilismo (FIA) | Foto: Divulgação

A W Series, uma competição totalmente feminina e administrada pela Federação Internacional do Automobilismo (FIA), vai realizar duas provas da próxima temporada atreladas à programação da Fórmula 1.

As respectivas etapas serão disputadas no México e nos Estados Unidos em 2021 e devem movimentar as casas de apostas, como é o caso da LeoVegas.

Vale salientar que esses 2 países, além do Brasil e do Canadá, não farão parte do calendário da principal modalidade de automobilismo do planeta em 2020 devido a pandemia do novo coronavírus.

Assim, o GP do Brasil ficou limitado a uma disputa virtual neste ano de acordo com reportagem do portal iGaming Brazil: Estrelas de Críquete e Futebol Participarão de GP Virtual de F1 do Brasil.

A W Series também precisou cancelar o torneio deste ano por causa do mesmo motivo. No entanto, a categoria agora possui intuito de levar as suas disputas para locais fora do continente europeu.

A organização já está começando a planejar edições da categoria na Ásia e na Oceania como apostas para acelerar o processo de internacionalização da categoria.

A competição feminina começou ainda no ano passado.

O grid de largada da W Series foi formado por 20 participantes, que correram seis provas no decorrer do ano passado.

A temporada de estreia foi conquistada pela britânica Jamie Chadwick, a primeira mulher a obter uma vitoriana Fórmula 3 do Reino Unido.

Ainda neste ano, a britânica vai competir pelo time Prema na F3 Regional Europeia, que também conta com o brasileiro Gianluca Petecof.

Além disso, Chadwick atua como piloto de desenvolvimento da equipe da Williams na Fórmula 1.

A W Series contaria com uma integrante brasileira nesta temporada, uma vez que Bruna Tomaselli, pilota da USF2000 nos Estados Unidos (categoria de base da IndyCar Series), tinha obtido resultados para assegurar a sua participação na categoria.

Entretanto, o agravamento da pandemia suspendeu os planos da brasileira por enquanto.

Afinal, o objetivo é que 2021 seja um ano de consolidação para a categoria feminina de automobilismo a nível global.


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook