Anel interno da Praça Cívica não é lugar para palanque

Diante do caos, motoristas recorrem ao buzinaço e ao xingatório. Direito de ir e vir precisa ser respeitado

A Praça Cívica é o ponto mais sensível do trânsito da capital.

Mas as autoridades públicas insistem em ignorar essa realidade.

Fecham o anel interno com uma facilidade fora do comum, instalando o caos por horas.

Lançamento da Operação Boas Festas fechou o anel interno da Praça Cívica e provocou transtorno no trânsito em toda a região | Foto: Sgt. Luiza / PMGO
Lançamento da Operação Boas Festas fechou o anel interno da Praça Cívica e provocou transtorno no trânsito em toda a região | Foto: Sgt. Luiza / PMGO

Para desespero de milhares de motoristas e usuários do transporte coletivo.

A programação oficial na manhã chuvosa desta segunda-feira, 9, previa o lançamento da Operação Natal Seguro envolvendo as forças de segurança pública.

Agenda importante para a população. Poderia ser realizada em qualquer região da cidade, menos em frente ao Palácio Pedro Ludovico Teixeira.

Viaturas, micro-ônibus e motocicletas do efetivo policial, além de caminhões do Corpo de Bombeiros, estacionados para observação pública.

Dezenas de policiais e servidores que trabalham no palácio à espera do governador Ronaldo Caiado e do secretário Rodney Miranda.

Enquanto isso, os estacionamentos do estádio Serra Dourada e da própria Secretaria de Segurança Pública, muito mais apropriados para receber esse tipo de evento, permaneciam às moscas.

Coração da mobilidade

Nestas horas sempre prevalece o pensamento, ridículo e ultrapassado, de que os transtornos e as críticas são passageiros diante da repercussão pública do fato.

Contrariados, os motoristas e os usuários do transporte coletivo recorrem ao buzinaço e ao xingatório por alguns minutos.

No dia seguinte sequer lembram do ocorrido.

Tudo seria diferente se os incomodados abrissem mão de uma parcela do seu tempo e manifestassem a contrariedade com muito mais ênfase no local, aproveitando o calor do momento.

O direito de ir e vir passaria a ser mais respeitado em futuras agendas oficiais. Tanto pelo Governo de Goiás como pela Prefeitura de Goiânia.

A Praça Cívica é o coração da mobilidade urbana da capital. Não pode, sem mais nem menos, ter uma de suas artérias interrompidas para servir de palanque político-administrativo.

Veja no vídeo da rádio “Sagres”:

Caiado participa de entrega de obras em Aparecida nesta 2ª


Acompanhe a Folha Z no Instagram (@folhaz), no Facebook (jornalfolhaz) e no Twitter (@folhaz)

Comentários do Facebook